O chefe da divisão Xbox, Phil Spencer, voltou a falar sobre as recentes declarações a respeito das estratégias futuras da Microsoft para o Xbox One ou seu sucessor. No mais recente podcast do Major Nelson, ele focou especificamente na ideia de que um console possa ser atualizado ao nível de hardware, como se fosse um PC recebendo mais memória ou uma nova placa de vídeo.

"Eu vou ter que abrir meu console e começar a atualizar peças individuais dele? Esse não é o nosso plano. Há algo especial que acontece com um console. Você compra um dispositivo com uma aplicação, o pluga a uma TV, e ele trabalha quando é ligado. Não é como se eu fosse colocar à venda um conjunto de chaves de fenda com cada console que sair", esclarece.

Em seguida, ele tentou explicar esse ponto de vista. "O que eu quero dizer é que, enquanto inovações de hardware acontecem, queremos abraçá-las nos consoles. (...) Mas, agora, não estamos anunciando um hardware. Eu estou feliz com o console que temos, a plataforma que construímos em cima dele e a inovação constante dos games que estão lá. Mas, como uma declaração de visão de longo prazo, quero ter certeza de que as pessoas compreendam que o que estamos fazendo é bom para o negócio dos consoles tanto quanto para o espaço dos PCs".

Futuro em construção

Spencer espera que chegue uma época em que o hardware de um console não leve de sete a oito anos para ser atualizado com o lançamento de um novo aparelho, nem que você mesmo faça o trabalho técnico de atualização. Porém, nem mesmo ele parece saber qual seria a solução — algo que deve fazer a Microsoft quebrar a cabeça no futuro próximo para resolver.

Spencer também disse não gostar da ideia do fim de uma geração, sendo esse um conceito que pode ser melhorado para tornar o ecossistema dos consoles algo melhor. "Pessoas me perguntam se vou fazer um novo console, e eu digo que espero totalmente que sim. E por que eu não digo só "sim"? Estou em um trabalho agora em que tomo decisões baseado no que há hoje. Não posso sempre prever o futuro. Mas se você pensar na estratégia atual, ela inclui múltiplas gerações de hardware tanto em consoles quanto no PC".

Vale lembrar que o executivo debateu recentemente também sobre a quebra de exclusividade de jogos do Xbox One e os planos da empresa na coexistência com o PC.