Depois que a Microsoft anunciou que vários títulos exclusivos do Xbox One chegariam ao PC e teriam integração com o Windows 10, os jogadores torceram o nariz. Phil Spencer, chefe da divisão Xbox e importante nome da indústria, conversou com usuários no Twitter, deu importantes declarações em entrevista ao IGN e defendeu sua plataforma de jogos.

O carismático executivo havia dito que os jogadores de PC teriam que gastar duas vezes mais do que os custos do Xbox One para jogar na mesma resolução. Depois, o chefão se corrigiu no microblog. “O comentário sobre 2x [duas vezes o preço do Xbox One] estava incorreto, erro meu. Meu ponto é de um patamar desempenho/preço, em que o console tem grande valor”, retificou.

Perguntado pelo IGN sobre por que os jogadores, sabendo que Quantum Break vai sair para PC, encontrariam razão para ter um Xbox One, Spencer deu uma longa explanação. “Acreditamos que existe uma diferença fundamental entre uma experiência de jogatina num PC e outra numa televisão. (...) Eu quero que o Xbox One seja absolutamente a melhor experiência em games que podemos criar. Estamos comprometidos com isso e assim ficaremos por muitos anos. [Mas] também somos Microsoft e, obviamente, observamos que o Windows é crítico para o sucesso da companhia. E, sinceramente, olhamos para o sistema e acreditamos que ele pode ter um impacto positivo no Windows 10 como uma plataforma de games”, defendeu.

Quanto ao argumento que Spencer tem ouvido ultimamente – o de que as pessoas poderiam vender o Xbox One e jogar os games no PC –, a resposta foi enfática. “Francamente, de um ponto de vista financeiro, o melhor custo-benefício é, absolutamente, jogar esses games num Xbox One. Olho os consumidores e quero muito trazer a Xbox Live. Estamos comprometidos em trazer nossas maiores franquias ao Xbox e ao Windows, já dissemos isso. Não significa necessariamente que todos os jogos acabem saindo para as duas plataformas porque pode haver algumas diferenças técnicas. (...) Temos um ecossistema em crescimento, os desenvolvedores estão gostando muito do Xbox One”, explicou o executivo.

Enfim, esse assunto ainda tem muita lenha para queimar. O fato divide opiniões: há quem defenda a unificação das duas plataformas (Xbox One e PC) e há quem rechace a iniciativa da Microsoft. E você, de que lado está?

Phil Spencer fala sobre jogos de Xbox One vindo ao PC: você concorda com essa política? Comente no Fórum do TecMundo.