Encoding for 360 Video and VR

Both 360 video and VR provide immersive viewing experiences, but this richness comes with a set of new and complex engineering challenges. The large file sizes can be an impediment to delivering video quickly in a quality manner at scale, and the videos can appear distorted during playback. We solved these challenges with new software that transforms 360 video from the standard equirectangular format into either cube maps or pyramid layouts, which reduces the file size without sacrificing quality or resolution.

Publicado por Facebook Engineering em Quinta, 21 de janeiro de 2016

A realidade virtual e os vídeos em 360 graus andam de mãos dadas, mas essa combinação tecnológica ainda está longe de beirar a perfeição. Pensando na evolução do recurso, o Facebook botou seus engenheiros mais experts para trabalhar em melhorias e otimizações dos vídeos em 360 graus para a realidade virtual numa tentativa de tornar a experiência a mais gratificante possível, e não mediana.

Os profissionais trabalham na codificação de vídeos utilizando geometria piramidal, técnica que reduz o tamanho dos arquivos em 80%. Na prática, o método pega quadros planos, transforma-os em esferas e, por fim, os encaixa dentro de uma pirâmide. Com isso, a resolução máxima da imagem vai para a base da pirâmide, enquanto as laterais gradativamente diminuem em qualidade.

Ao todo, cada pirâmide contém 30 diferentes visualizações, e o Facebook cria cinco streams em várias resoluções para cada uma. Posteriormente, o site salva todas as 150 versões de seu vídeo nos servidores e apenas transmite aqueles para os quais você está olhando, dependendo da velocidade de conexão da sua internet.

Facebook e vídeos em 360 graus estão em um relacionamento sério

Quando os vídeos em 360 graus foram lançados, o Facebook utilizou mapeamento em cubo em vez da pirâmide para o processo de codificação. Esse método reduz o tamanho dos arquivos em apenas 25%, diferentemente da técnica supracitada, que faz um corte de 80%. Acha que tem as manhas e gostaria de aplicar um filtro customizado de cubo em vídeos por conta própria? O Facebook disponibilizou seu código no Github.

Além disso, o site substituiu seu sistema de processamento de vídeo por SVE (sigla para “Streaming Video Engine”). O novo procedimento divide arquivos em diversas partes para fazer o upload deles e codificá-los separadamente de uma só vez, acelerando o processo de codificação.

Em palavras resumidas, a ideia do Facebook é que mais pessoas consumam vídeos no site e adotem o hábito de postar conteúdos assim com mais frequência. É claro que sempre existe uma razão monetária para isso, uma vez que vídeos implicam anúncios, visualizações e engajamento (que depois se converte em retenção de acessos e, consequentemente, dinheiro).

O que você acha da qualidade dos vídeos no Facebook? Comente no Fórum do TecMundo.