A indústria de games continua crescendo firme e forte, e um novo relatório divulgado pela Entertainment Software Associaton (ESA) vem para provar isso. Segundo os dados revelados, os EUA – o maior mercado de jogos do mundo – apresentaram um lucro total de 23,5 bilhões de dólares (R$ 95 bilhões) em 2015, contra os US$ 22,4 bilhões de 2014.

Os números levam em consideração as vendas das mais diversas áreas da indústria, vale notar, indo dos consoles aos softwares, jogos para dispositivos mobile e outros produtos digitais. Deles, os conteúdos de software – mídias físicas e digitais, games para celular, DLCs e afins – somam um total de 16,5 bilhões de dólares, o que significa um crescimento de 7% em comparação aos US$ 15,4 bilhões arrecadados em 2014.

Não faltam fatores para contribuírem no crescimento do mercado de games, é claro. Além da popularidade cada vez maior dos consoles mais recentes no mercado, 2015 apresentou uma enorme quantidade de jogos de enorme sucesso, como Call of Duty: Black Ops 3, Fallout 4 e muitos outros. Não menos importante foi o mercado mobile, que continua seguindo firme e atraindo um público gigantesco.

Mais do que apenas dar ao público o que ele quer

Em seu relatório, a ESA, que é responsável por nada menos do que a realização da famosa feira de games E3, também apontou que o sucesso da indústria é resultado em grande parte da habilidade do mercado como um todo de prever o que o público procura. “A indústria de video games se sobressai porque ela antecipa a demanda, dando às pessoas o que elas querem antes de elas perceberem que querem”, explicou Michael D. Gallagher, presidente da ESA.

Com isso, resta apenas uma última pergunta: será que a indústria vai continuar crescendo em 2016? Tudo depende, no fim das contas, do sucesso das tecnologias de realidade virtual: por um lado, elas podem se tornar uma fonte de lucros projetada em mais de 120 bilhões de dólares; por outro, ainda não está certo se os caros dispositivos como o Oculus Rift ou o HTC Vive vão se mostrar realmente atrativos ao público. Resta esperar para ver.

O que você espera para o futuro dos games? Comente no Fórum do TecMundo