Relativamente discreto durante todo período que compreendeu o corte abrupto de relações com a Konami, o lançamento do aclamado Metal Gear Solid V: The Phantom Pain e a criação do seu novo estúdio, Hideo Kojima parece ter voltado aos holofotes com o empenho usual. Nos últimos dias, o gênio da indústria dos games tem utilizado seu perfil no Twitter para explicar um pouco mais sobre o seu processo de criação e também resolver alguns mal-entendidos.

Bastante ativo na rede social – com mais de 50 mil tweets desde que ingressou na plataforma, em 2010 –, o designer aproveitou alguns momentos de descanso na última segunda-feira (22) e deu uma geral a respeito de que atividades costuma exercer no dia a dia. Assim, em uma sequência de mensagens nas quais aproveitou muito bem a vantagem que a língua japonesa tem sobre os outros idiomas na hora de se expressar em 140 caracteres, Kojima deu uma verdadeira aula para seus seguidores. Confira o serviço “leve” do rapaz:

“Pensar no planejamento, criar orçamento e cronograma, atrair membros para a equipe, visualizar o mundo, a história e o game design, determinar o título e a direção de arte, tudo isso enquanto escrevo os detalhes e o roteiro, dou instruções em campo para produção, ajustes, edição de teasers e trailers e trabalho nas cópias de divulgação. Também como controlar essas promoções. Além disso, há a publicidade. Esse é o meu trabalho.”

“Então, criar jogos dessa forma intensa (produção, planejamento, supervisão, game design, desempenho, edição, etc.), fazendo mais de uma coisa ao mesmo tempo, é realmente difícil. Contudo, eu confio o trabalho de produção e o planejamento do título a pessoas que eu conheço há muito tempo, então é OK trabalhar nisso em paralelo, enquanto produção e supervisão são levadas adiante sem afetar minhas próprias tarefas.”

O idioma pode ser uma barreira

Apesar de se mostrar bastante confortável para compartilhar com os fãs esse tipo de informações de bastidores, Kojima aproveitou a atenção dos internautas para alertar que nem sempre suas palavras são interpretadas corretamente. Segundo o chefão da Kojima Productions, muito disso se dá por conta de ele falar apenas japonês e se comunicar com o Ocidente através de intérpretes – um problema relativamente comum para a maioria dos desenvolvedores nipônicos.

“Fui entrevistado no exterior. Por meio de um intérprete é bem difícil transmitir nuances [do discurso], ainda mais se ele não for fluente em ambas as línguas. Artigos escritos subjetivamente pelo repórter são publicados. Alguns acabam se afastando da nossa intenção real naquele momento. Esses artigos também acabaram sendo traduzidos erroneamente para o Japão. Além disso, sempre há chamadas com conteúdo alterado para ganhar cliques e fazer dinheiro”, analisou o designer em outro tweet.

Será que já está na hora de os desenvolvedores japoneses aprenderem inglês? Comente no Fórum do TecMundo!