Não há dúvidas de que, de uns tempos para cá, vários jogos têm se esforçado para apresentar um enredo melhor. Porém, para Rhiana Pratchett, escritora de Rise of the Tomb Raider, ainda há mais espaço para melhoria, e isso é algo que os desenvolvedores devem observar em seus títulos. 

Falando durante uma apresentação feita no DICE Summit 2016 na última semana, a escritora explanou sobre o seu trabalho como roteirista, além de mencionar que é importante colocar as histórias como um ponto central dos jogos. 

“Ainda que você não coloque a história como algo central em seu jogo, os jogadores ainda vão procurar por uma história. Somos criaturas narrativas, as histórias mexem com o lado emocional e fazem os jogadores se preocuparem com o seu game”, explicou a escritora. 

Outro detalhe mencionado por ela durante o bate-papo é que geralmente os roteiristas são contratados muito tarde, o que dificulta um pouco as coisas. “Escritores geralmente são contratados muito tarde. Eles recebem a tarefa de criar uma narrativa em torno de um jogo que já foi construído. Essa é uma forma frustrante de trabalhar, agimos como paramédicos narrativos”, disse a profissional, complementando com o fato de que também é preciso fazer com que os autores trabalhem em conjunto com os demais membros do time para que tudo fique alinhado.

E você, concorda com a escritora de Rise of the Tomb Raider? É importante que os jogos apresentem uma boa história, mesmo quando esse não é o seu foco? Comente no Fórum do TecMundo