O Meizu PRO 5 Ubuntu Edition parece ter tudo para conseguir a torcida de boa parte dos entusiastas de tecnologia. Como se não bastasse a presença do sistema operacional baseado em Linux, o dispositivo conta com especificações de ponta que deveriam garantir um desempenho extremamente favorável. No entanto, parece que nem mesmo o processador que impulsiona o top de linha atual da Samsung, o Galaxy S6, conseguiu fazer o aparelho decolar.

Com um corpo de alumínio em peça única, tela AMOLED de 5,7 polegadas e resolução Full HD (1920x1080 pixels) que se dobra ligeiramente nas bordas, CPU Exynos de 14 nm, 3 GB de memória RAM e 32 GB de armazenamento. Além disso, ele tem também um chip de áudio de alta definição e câmera traseira de 21 MP com foco automático auxiliado por laser, o smartphone inquestionavelmente tem componentes de ponta.

Mesmo com esse hardware nada insignificante, o aparelho exibido na MWC 2016 parece deixar bastante a desejar no que diz respeito ao seu software, pelo menos de acordo com as primeiras impressões da equipe do The Verge. De acordo com o site, o Ubuntu sofre com um ecossistema de aplicativos extremamente escasso, contando apenas com programas básicos, como navegadores, clientes de email, o Here Maps e alguns softwares de mensagem.

Planos frustrados

Ao que parece, os responsáveis pelo sistema não têm a intenção de se preocupar com o desenvolvimento de apps, decidindo apostar nos chamados Scopes. Em vez de permitir que os usuários baixem um app como o Soundcloud, por exemplo, o Ubuntu disponibiliza conteúdos similares por meio de seu Music Scope.

O conceito soa bastante interessante, mas sua execução ainda está aquém do que poderia ser – e o Meizu Pro 5 parece não mudar essa situação. Além disso, o The Verge afirma que o sistema é “frustrantemente lento”, o que a Canonical diz acontecer por conta do fato de que o software ainda não está finalizado. Ainda assim, o novo aparelho já está disponível para pré-compra, e você pode clicar aqui para se inscrever e receber um aviso quando o celular for lançado.

Embora ainda exista a esperança de que a Canonical otimize o sistema antes da sua chegada – marcada para março –, o fato do Meizu Pro 5 demorar para responder aos toques e não registrar todas a interações feitas faz com que pareça improvável que ele melhore muito antes do lançamento. Uma notícia infeliz para quem aguardava ansiosamente a chegada do Ubuntu a um dispositivo de ponta.

Sonhos adiados?

Atualmente, a dominação do mercado de dispositivos móveis por gigantes como o Android e o iOS dificulta consideravelmente o sucesso de outros sistemas operacionais. No momento, a Mozilla parece ter desistido de vez do Firefox OS, a BlackBerry adotou de vez a plataforma da Google e a Microsoft, ainda que continue trabalhando no Windows 10 Mobile, tem dado bastante atenção para o desenvolvimento de aplicativos para os SOs da Gigante das Buscas e da Apple.

Em meio a isso, a Canonical vem se esforçando para tentar pegar seu pedaço da fatia com sua variação de Linux. A empresa tentou fazer um smartphone próprio em meados de 2013 por meio do financiamento coletivo, mas não conseguiu atingir sua meta por uma margem considerável de US$ 19 milhões. Desde então, a companhia vem firmando parcerias com fabricantes para que lancem versões Ubuntu de seus smartphones.

Hoje, o Meizu Pro 5 é o quinto aparelho do tipo a receber o sistema operacional e é, de longe, o que tem as melhores especificações. Ainda assim, os resultados atuais não soam nada promissores e o prazo da Canonical para melhorar a situação no dispositivo é bastante apertado. Podemos apenas esperar até março para ver, mas é provável que o sonho de um bom celular com Ubuntu ainda vai ter que esperar mais um pouco.

Você ainda tem esperança de ver um bom smartphone rodando Ubuntu? Comente no Fórum do TecMundo