Se você costuma andar de carro como passageiro, já deve ter percebido como a direção agressiva pode ser um incômodo para quem está dentro dos veículos. Arrancadas bruscas e frenagens repentinas podem chacoalhar os passageiros como se fossem uma carga pesada em caminhões em condições precárias. Quem também sabe que isso incomoda é o Uber e a consequência disso é bem interessante.

Recentemente, a empresa começou a fazer rastreios de seus motoristas nos Estados Unidos, para identificar se as direções estavam sendo feitas de um modo seguro para os consumidores. Em vez de instalar tacógrafos nos veículos, o que a companhia fez foi se aproveitar dos sensores que já estão integrados aos smartphones — necessários para que os motoristas façam suas corridas.

De acordo com o próprio Uber, os giroscópios são responsáveis pela identificação de pequenos movimentos, enquanto o GPS e o acelerômetro fazem a medição da frequência com que os carros são acelerados e parados, além de gerar relatórios de velocidades médias. Com isso, o Uber pode fazer a verificação das corridas após algum passageiro reclamar sobre a agressividade do motorista.

O objetivo desse projeto é fazer com que os motoristas sejam controlados para levar muito mais segurança aos passageiros — o Uber relembra os altos índices de mortalidade em acidentes causados por excesso de velocidade. Por enquanto, o novo sistema será usado apenas em algumas cidades dos Estados Unidos, mas é possível que isso seja globalizado em breve.

Você é contra o Uber? Comente no Fórum do TecMundo