Diferenças entre telas resistivas e capacitivas [vídeo]

Qual é o melhor tipo de tecnologia empregado em telas sensíveis ao toque? Descubra tudo em nosso artigo.
  • Visualizações69.600 visualizações
Por Renan Hamann em 8 de Novembro de 2011

Na hora de comprar um smartphone ou um tablet, um dos pontos mais observados pelos consumidores é a tela sensível ao toque. Muitos modelos mais baratos trazem a tecnologia do touchscreen resistivo, que utiliza duas camadas para interpretar os comandos. Telas capacitivas fazem com que os aparelhos fiquem mais caros e estão presentes nos principais produtos. Mas você sabe quais as diferenças entre elas?

Muito além do nome, as duas tecnologias são diferentes em toda a estrutura. Desde as camadas que compõem os comandos até o tempo de resposta oferecido. Se você está ansioso para saber um pouco mais sobre elas e também descobrir qual tipo é melhor para seus eletrônicos, fique atento às informações que o Tecmundo preparou para você.

Como funcionam as telas?

Existem diferenças básicas no funcionamento desses dois tipos de tecnologia. Telas resistivas são compostas por várias superfícies. Os comandos por dedo ou caneta stylus são realizados na camada externa, que entra em contato com uma membrana flexível de proteção. A terceira camada é a primeira tela, que toca a tela principal e fecha o circuito.

Diferenças entre telas resistivas e capacitivas [vídeo] (Fonte da imagem: Wikipédia/MedVedev)

É assim que o comando é enviado ao eletrônico, que vai interpretar cada ponto pressionado como se fosse um clique. Telas resistivas não oferecem suporte para múltiplos toques, pois os circuitos podem entrar em conflito. Para entender melhor esse problema, tente utilizar um computador com dois mouses. O resultado é bem parecido.

Já as telas capacitivas são compostas por uma camada de proteção, uma com os eletrodos transparentes e logo em seguida o substrato de vidro. São os eletrodos que capturam os comandos: a indução elétrica dos dedos faz com que esta camada seja acionada e envie os sinais para os softwares executados.

As diferentes utilizações

Até poucos anos atrás, era comum vermos pessoas com computadores de bolso e suas canetas stylus para conseguir maior precisão dos comandos. A grande maioria dos dispositivos touchscreen era criada com telas resistivas, que ainda hoje podem ser encontradas em diversos eletrônicos.

É o caso de vários smartphones, tablets e navegadores GPS, geralmente mais econômicos do que os principais modelos do mercado. Isso acontece porque a fabricação de telas capacitivas é mais dispendiosa, fazendo com que os aparelhos custem até 50% mais caro.

Diferenças entre telas resistivas e capacitivas [vídeo]

Como já dissemos, os principais produtos da atualidade contam com a tecnologia do touchscreen capacitivo. Isso inclui os tablets iPad, Galaxy Tab e Xoom e os smartphones iPhone, Galaxy S II e Atrix.

Vantagens de cada uma

As duas tecnologias possuem algumas vantagens. As resistivas ganham pontos por serem mais econômicas e permitirem que fabricantes menores também consigam oferecer telas sensíveis ao toque para seus consumidores. Existe também uma vantagem que é bastante curiosa.

Em dias muito frios, pessoas que estiverem utilizando luvas não conseguem usar telas capacitivas. Isso acontece porque o que faz os comandos funcionarem é a eletricidade dos dedos, que não estão entrando em contato com o aparelho. Por esse motivo, as telas resistivas acabam sendo mais adequadas em locais de frio intenso.

Diferenças entre telas resistivas e capacitivas [vídeo]

Por outro lado, as telas capacitivas ganham muitos pontos pela qualidade de imagens e rapidez na resposta dos comandos. Quando os softwares permitem, as telas capacitivas podem ser acionadas em vários pontos diferentes, sem que haja interferência de um ponto sobre outro. É o multitouch.

Outro ponto que é superior nas telas capacitivas é o brilho. As resistivas apresentam muitos problemas referentes ao reflexo, fazendo com que seja difícil utilizá-las em ambientes com luminosidade elevada. Como as capacitivas possuem menos camadas, o brilho delas é mais intenso e garante melhor qualidade nas visualizações.

Qual é a melhor?

Como você pode perceber, as telas capacitivas apresentam uma série de vantagens sobre as resistivas. Mesmo que as segundas sejam mais baratas, em muitos casos é vantajoso gastar um pouco mais de dinheiro para ter acesso a qualidade de imagens e respostas mais precisas.

Em dispositivos que exigem menos precisão, como navegadores GPS, as telas resistivas são aplicadas sem problemas. Raramente são necessários toques múltiplos e, assim, a tela mais econômica acaba sendo suficiente para suprir a demanda dos usuários.

Deixando de lado aplicações e preços, não há como dizer que as telas resistivas são superiores. Permitindo a aplicação de multitouch, maiores resoluções e brilho, menos distorções e, novamente, mais precisão e menor tempo de resposta fazem com que as telas capacitivas sejam as mais recomendadas.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!