A tecnologia militar evolui a uma velocidade assustadora e, como não poderia deixar de ser, está cada vez mais abraçando a robótica. Fabricantes independentes, como a Boston Dynamics, e agências como a DARPA (Defense Advanced Research Projects Agency), dos Estados Unidos, já trabalham na criação do front de batalha do futuro — e ele provavelmente terá menos humanos do que atualmente.

Algumas das tecnologias não são pensadas exatamente para serem utilizada como arma, mas é fácil adaptá-las para terrenos de combate ou situações de infiltração e ataque. A seguir e no vídeo acima, você conhece alguns androides ou tecnologias que podem estrear no campo de batalha em algum tempo, mudando radicalmente a forma com que a humanidade faz guerras.

1. GuardBot

O drone anfíbio GuardBot é uma bola robótica que é mais ameaçadora do que parece. Ela anda na água bem lentamente, a 6 km/h, mas pode chegar a 20 km/h quando vai em terra firme. A aplicação prática não ficou muito clara, mas o GuardBot pode ser usado em missões de infiltração ou até se transformar em uma bomba ambulante.

2. HULC

O HULC, com "C" mesmo, é um exoesqueleto descrito como se fosse um robô vestível. Ele é uma estrutura de titânio que contorna quase todo o corpo de um soldado e transforma ele em um ser humano superior. Com o HULC, você fica mais forte, pode carregar mais peso sem cansar e fazer movimentos rápidos mesmo com uma pesada mochila nas costas ou arma nas mãos. O sistema hidráulico que simula as juntas é ativado com um microprocessador que adivinha em tempo real o movimento que você deseja fazer.

3. Petman

Já a Boston Dynamics não quer arriscar soldados de verdade. O Petman é um robô humanoide que pode até ser vestido como um militar ou agente de resgate. Simulando marchas e capaz de agachar ou levantar os braços, ele é indicado para entrar em zonas de ataques químicos e fazer resgate ou vigilância. Mas quem garante que no futuro ele também não seja capaz de pegar em um rifle?

4. Enxame de drones

Drones individuais e de grande porte já são usados em ataques dos Estados Unidos, mas pode ficar pior. Na Universidade da Pensilvânia, cientistas conseguiram criar drones em miniatura que obedecem uma formação e comandos em grupo, além de desviarem de obstáculos.

5. Super aEgis II

A Super aEgis II é uma criação de uma empresa da Coreia do Sul. Ela é uma metralhadora automática e robótica que usa sensores termais para travar em alvos humanos com até 3 quilômetros de distância. A aEgis é capaz de derrubar até um caminhão  Ela funciona normalmente durante a noite ou sob condições climáticas não tão favoráveis.

6. Ground X-Vehicle Technology

Os tanques não são conhecidos por serem muito ágeis, mas a agência de defesa dos Estados Unidos quer mudar isso com o Ground X-Vehicle Technology. Podendo carregar tripulantes, o tanque tem alta mobilidade mesmo em terrenos arenosos, placas de armadura reposicionadas para evitar foguetes e até a capacidade de "agachar" para se esquivar. Armas podem ser instaladas para que ele seja capaz de revidar.

Você acredita que robôs poderão substituir os humanos? Comente no Fórum do TecMundo