Um golfinho-do-rio-da-prata, também conhecido como golfinho-franciscana, foi morto por turistas em uma praia da cidade de Santa Teresita, na Argentina. Dois animais da mesma espécie foram encontrados encalhados na areia, e, em vez de colocá-los novamente no mar, os turistas ficaram passando um deles de mão em mão para tirar selfies. O golfinho da foto não sobreviveu.

Esse tipo de golfinho está em extinção e só pode ser encontrado na região da foz do Rio Paraná/Rio da Prata, entre as fronteiras do Brasil, Uruguai e Argentina. Eles ainda se aventuram em algumas praias das costas desses três países, mas são muito frágeis, dado o tamanho reduzido. Golfinhos-franciscana medem de 1,3 a 1,7 metro no máximo, e sua população atual na costa da Argentina não deve passar dos 30 mil indivíduos.

O WWF argentino emitiu uma nota sobre o ocorrido, alertando que essa espécie não pode ser tirada ou mantida fora d’água por muito tempo. Sua pele é muito grossa e revestida de gordura por dentro para acumular calor. Se forem mantidos nas mãos de humanos ou mesmo na areia, podem morrer desidratados rapidamente por não conseguirem dissipar o calor acumulado no corpo.

“A ocasião serve conscientizar o público sobre a necessidade urgente de devolver esses golfinhos ao mar logo que encontrados na orla. É fundamental que as pessoas ajudem no resgate desses animais, porque cada um deles conta”, comenta a nota.

A instituição ainda explica que probabilidade de recuperação da espécie é muito baixa, uma vez que o tamanho da população dos golfinhos-franciscana tem diminuído nos últimos anos. Além do problema com encalhamento em praias, os golfinhos ainda sofrem com a pesca com redes no litoral argentino.

Este é um dos primeiros casos de que temos notícia sobre animais sendo mortos por conta da necessidade moderna de humanos tirarem selfies com tudo o que veem por aí. Diversas pessoas também já morreram por conta dessa prática em locais muito perigosos.

ATUALIZAÇÃO 19/02 - 12h12

Um dos banhistas que esteve na praia em que essas fotos foram tiradas presenciou o ocorrido e deu entrevistas a jornais argentinos dizendo que o golfinho não foi morto pelos turistas. Ele comentou que, quando o animal foi encontrado, as pessoas tentaram salvá-lo, mas ele já parecia estar morto.

O vídeo que você confere foi feito pelo banhista em questão, chamado Hernán Coria, que explicou que o golfinho não se debatia, tampouco tentava nadar fugindo dos humanos quando foi colocado de volta na água. A pessoa que aparece na foto encabeçando a notícia foi justamente a mesma que tentou colocar o animal no mar novamente para ver se ele se reanimava.

De qualquer forma, não parece haver uma resolução concreta para o caso, mas o mais provável é que a história de que os turistas mataram o golfinho tirando selfies tenha sido inventada pelo site argentino InfoZona. A publicação tem sido apontada por outros veículos do país como a precursora do rumor.

As mais bizarras histórias de selfies Comente no Fórum do TecMundo