Como saber se meu celular está infectado

Algumas ações, normalmente estranhas, podem entregar se o seu telefone está com um visitante indesejado.
  • Visualizações60.490 visualizações
Por Ráisa Guerra em 4 de Maio de 2012

Como saber se meu celular está infectado (Fonte da imagem: Reprodução/ThinkStock)
É praticamente uma regra universal: se há um sistema operacional, um malware rapidamente é criado para ele. Assim acontece nos computadores e — acompanhando as novas tendências — nos celulares, que estão sendo bastante utilizados para diversos tipos de transações, como de dados bancários, por exemplo. Tudo o que um bom hacker gosta.

Os vírus para telefones podem fazer diferentes estragos, como realizar ações que não foram solicitadas ou mesmo desconfigurar os dispositivos. No entanto — assim como também é comum ver nas histórias em quadrinhos nas quais para cada vilão há sempre um herói —, aplicativos que atuam como antivírus também foram desenvolvidos para que os celulares fiquem mais seguros.

Por isso, o jeito é ter sempre um bom antivírus, pois prevenir ainda é o melhor remédio — especialmente por alguns vírus não serem muito visíveis até aos mais cuidadosos. Estes, em alguns casos graves, podem enviar suas conversas e mensagens de texto a um hacker (mesmo você não tendo nenhum conhecimento sobre isso).

Mas alguns malwares apresentam ações que podem entregar a presença deles em um celular. Confira abaixo uma lista dos sintomas causados por alguns vírus e saiba como identificar se seu telefone adquiriu um “mau visitante”:

1 - Bateria

Entre as ocorrências mais comuns de um malware no celular está a pouca duração da bateria. Se antes ela durava consideravelmente bem, mas agora “morre” inclusive no primeiro sinal de que ela está fraca, fique com um pé atrás: é bem possível que um vírus esteja brincando com a “vida” da sua bateria — e de uma maneira nada divertida.

Como saber se meu celular está infectado (Fonte da imagem: Reprodução/ThinkStock)

2 - Bluetooth

Permaneça atento ao sinal de Bluetooth que aparece na tela do seu celular. Se ele está ativo sem que você tenha solicitado — e, mesmo quando você o desativa, ele volta a ficar disponível —, é provável que um vírus esteja utilizando seu telefone para enviar arquivos infectados para outros aparelhos em que o Bluetooth esteja ativo e tenha sido detectado.

Como saber se meu celular está infectado (Fonte da imagem: Reprodução/ThinkStock)

3 - Ações suspeitas

Seu telefone reinicia sem que isso tenha sido solicitado? Alguns arquivos não abrem por estar corrompidos? Os aplicativos apresentam um mau funcionamento e mesmo alguns botões não estão desempenhando muito bem as funções que deveriam? Desligar o celular se tornou uma dor de cabeça?

Como saber se meu celular está infectado (Fonte da imagem: Reprodução/ThinkStock)
Não, o seu telefone não precisa ser jogado fora. Ele pode estar apenas com um vírus fanfarrão — como os muitos já vistos em computadores — que adora desconfigurar um aparelho. Se esse é seu caso, antes de ir comprar um novo telefone, tente instalar um aplicativo antivírus. Ele poderá ser a solução.

4 - Mensagens de texto

Infelizmente, em alguns casos, você só saberá dos trojans para SMS quando a conta do telefone chegar ou seu crédito estiver acabando mais rápido do que você queria. Isso acontece por esses tipos de malware enviarem mensagens para sua lista de contatos, sem que você tenha pedido por isso.

Como saber se meu celular está infectado (Fonte da imagem: Reprodução/ThinkStock)

Fique de olho

Apesar de alguns desses sintomas terem um reconhecimento mais simples, alguns vírus não são tão “bonzinhos” e se escondem muito bem. O principal problema é que, normalmente, são exatamente esses os piores: eles não mostram suas ações, adquirindo informações sigilosas e causando mais dor de cabeça do que a proporcionada por um aplicativo que não está funcionando direito.

Assim, a dica constante é: tenha um antivírus e fique atento às ações do seu celular, pois agora ele também faz parte do mundo de vítimas dos malwares — juntamente com os computadores.

Fonte: Security Watch e Tech Dug



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!