Soldados americanos estão fazendo check-ins em campos de batalha e exército reage

Segundo autoridades, militares devem estar cientes do perigo apresentado pelo uso do geotagging.
  • Visualizações3.480 visualizações
Por Roberto Hammerschmidt em 12 de Março de 2012

Soldados americanos estão fazendo check-ins em campos de batalha e exército reage (Fonte da imagem: Reprodução/GPS Personal Navigation)

E se a foto tirada por um soldado no campo de batalha fornecesse sua localização exata para um inimigo? O risco de a informação cair em mãos erradas é alto e está sendo tratado com seriedade por autoridades do exército americano. Brittany Brown, gerente de mídia social, levantou uma questão importante: e se um emblema no Foursquare valesse a sua vida?

Há uma série de aplicativos de redes sociais, baseados em localização, atualmente no mercado. Eles utilizam o recurso de GPS, normalmente no telefone da pessoa, para publicar a localização dela e oferecer recompensas na forma de descontos, distintivos ou pontos para incentivar check-ins frequentes.

Mas isso, obviamente, representa um risco para a segurança de militares. Se um soldado carrega uma foto tirada em seu smartphone para o Facebook, ele pode transmitir a localização exata de sua unidade.

Hoje, existe um GPS embutido em praticamente todos os smartphones. "Para cada foto que você tira com o telefone, é incorporada automaticamente a latitude e longitude da fotografia”, diz Steve Warren, vice-chefe do Centro de Excelência em Manobras do exército americano. Alguém com o software certo e a motivação errada pode fazer o download da foto e extrair as coordenadas a partir dos metadados.

Ajudando o inimigo

Warren citou o mundo real como exemplo: Quando uma nova frota de helicópteros chegou com uma unidade de aviação em uma base no Iraque, alguns soldados tiraram fotos durante o voo, disse ele. Pelas fotos que foram enviados para a internet, o inimigo poderia ser capaz de determinar a localização exata dos helicópteros dentro do complexo e realizar um ataque morteiro, destruindo quatro dos Apaches AH-64. 

Segundo o sargento da Divisão de Mídia Online e Social, Dale Sweetnam, o geotagging é de particular preocupação para os soldados mobilizados e em trânsito para uma missão. "O ideal é que os soldados estejam sempre cientes dos perigos associados ao geotagging, independentemente de onde eles são", explicou.

Dicas para soldados

Kent Grosshans, oficial do exército dos EUA, fala sobre o adversário. Segundo ele, o oponente pode ser um hacker, um terrorista, um criminoso, enfim, alguém que tem a intenção de causar danos. “Ele pega os pedaços de informação para formar um quebra-cabeça inteiro”, diz Grosshans.

Por isso, o oficial sugere desabilitar o recurso de geotagging no telefone e verificar as configurações de segurança para ver com quem você está compartilhando seus check-ins. Antes de adicionar um local para uma foto, o soldado realmente precisa dar um passo para trás e se perguntar: quem realmente precisa conhecer esta informação de localização?

"Esteja consciente da informação que você está colocando lá fora", disse Grosshans. "Não compartilhe informações com estranhos. Uma vez que está publicada, ficará publicada. Não há como trazer de volta”, finaliza. 



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!