Durante uma demonstração feita no Mobile Word Congress 2016, pesquisadores da área de segurança provaram que é relativamente fácil enganar os sensores de impressões digitais disponíveis em smartphones e tablets. Usando como base um iPhone, eles usaram um dedo feito em argila para desbloquear a tela e acessar os recursos oferecidos pelo aparelho.

A demonstração surgiu como parte dos esforços da Vkansee, fabricante de sensores de impressões digitais chinesa, de mostrar as vantagens de sua tecnologia proprietária. O presidente da companhia, Jason Chaikin, usou o material conhecido como Play-Doh junto a um molde para criar uma espécie de dedo que conseguiu enganar os sensores da Apple.

Embora esse tipo de ação dificilmente vá ser usada por hackers, ela prova que com um pouco de inventividade é possível quebrar barreiras de segurança. Consultada pelo site Tech Worm, a Apple não fez qualquer pronunciamento oficial, se limitando a destacar a área de segurança em seu site oficial em que afirma que a probabilidade de o Touch ID oferecer acesso a uma pessoa não autorizada é de uma em 50 mil.

“O Touch ID só permite cinco tentativas não sucedidas antes que você precise usar seu código de desbloqueio, e você não pode proceder sem fazer isso”, afirma a publicação da companhia da Maçã. Chaikin afirma não ter problemas com o iPhone, e sua afeição pelo aparelho inclusive foi um dos motivos pelos quais ele foi escolhido para a demonstração.

“A demanda por scanners que ficam abaixo do vidro e são resistentes a hacks é a coisa número 1 que escutamos de fabricantes de dispositivos”, afirmou Chaikin. Segundo ele, atualmente há uma espécie de “corrida” entre empresas de segurança e ladrões virtuais, cujo objetivo final é construir uma solução que não possa ser violada por ninguém.

Você confia na segurança oferecida por sensores biométricos? Comente no Fórum do TecMundo