Leitor biométrico e até leitor de íris podem ser coisa do passado se comparados com a mais recente tecnologia de identificação de usuário registrada pela Samsung no USPTO, o órgão norte-americano regulador de patentes.

O registro diz respeito a uma forma de identificar o dono de um smartwatch a partir dos vasos sanguíneos (mais especificamente, das veias). Primeiro, o relógio faz uma leitura inicial das veias da mão em que o dispositivo está e usa o "molde" para comparar com futuras identificações. A tecnologia infravermelha pode ser a escolhida para atuar nesse processo.

E a tecnologia não precisa ser usada somente para liberar o uso ao relógio inteligente: ele pode ser conectado a outros dispositivos, de celulares ao seu próprio carro, sem contar os pagamentos mobile, e só liberar após a leitura das costas da sua mão.

A patente já foi registrada há algum tempo pela Samsung e isso não significa necessariamente que seu uso está garantido pela companhia sul-coreana. Ainda assim, não seria uma surpresa se ela aparecesse em futuros modelos da série Galaxy Gear.

Compensa comprar um SmartWatch? Comente no Fórum do TecMundo