Pixel: o que você precisa saber sobre ele?

Um especial para você conhecer tudo sobre este pequeno notável e o mundo visual que ele compõe.
  • Visualizações55.864 visualizações
Por Fabio Jordão em 7 de Janeiro de 2011

É bem provável que você siga uma rotina. Vai à empresa, liga o computador, as imagens aparecem na tela, realiza suas atividades, encerra o sistema, desliga o computador e vai embora. Ao sair da empresa, retira o smartphone do bolso, efetua algumas tarefas no portátil e vai para casa.

Ao chegar, retira o notebook da bolsa e se conecta com o mundo. Liga a televisão de LCD e seu video game para relaxar um pouco. Ao fim do dia, finalmente seus olhos podem descansar e seus eletrônicos podem ser desligados por algum tempo.

Os pixels sempre presentes...

Tudo isso aconteceu e você possivelmente nem notou a presença do pixel a sua volta. Todavia, ele estava sempre por perto, ao menos em todas as imagens digitais que você utilizou durante o dia. Talvez você não conheça ou, quem sabe, não faça ideia da importância do pixel.

Pensando nisso, o Baixaki decidiu criar um artigo especial para detalhar tudo sobre os pixels. Afinal, o que é um pixel? O que ele faz com as imagens? Qual é o tamanho real do pixel? Por que quando eu redimensiono uma foto, às vezes ela fica com os pixels à mostra? Por que vejo os pixels em uma tela grande? Todas essas perguntas e muitas outras serão respondidas hoje.

Apresentando: o princípio da imagem digital

O pixel é um elemento que pode ser encontrado tanto em imagens quanto em dispositivos eletrônicos. No ramo das artes digitais, ele é o menor ponto de uma imagem. Isso significa que ao ampliar uma imagem, vemos todos os mínimos detalhes em pixels.

Os pixels podem ser considerados como células, justamente por serem as menores partes de um todo. Ao utilizarmos um microscópio para observar a pele humana bem de perto, podemos visualizar que nosso tecido corporal é composto por pequenas células (claro que o corpo humano possui partículas ainda menores, os famosos átomos).

Com as imagens digitais ocorre exatamente o mesmo. Quando ampliadas em um programa, as figuras revelam os pixels. E justamente por se tratar de um conjunto de “células visíveis virtuais”, os pixels só formam imagens quando unidos. E assim como ocorre na vida real, cada pixel tem um aspecto visual diferente, o que permite que diferentes imagens sejam formadas.

Analisando a palavra pixel, pode-se ver que ele é o único elemento que compõe uma imagem. A junção das palavras “Picture” e “Element” – que em tradução livre significa “Elemento da Imagem” –, deu origem ao conceito do que é o pixel. Ou seja, o pixel é a menor parte de uma imagem e também é o único elemento que a compõe.

Vale lembrar que, como já citamos em um artigo anterior, o pixel só é o elemento básico de imagens bitmap (também conhecidas como imagens “raster”), ou seja, imagens mapeadas por bits. Como assim? Basicamente, cada pixel de uma imagem bitmap é um bit e todos juntos formam um mapa, que é interpretado pelo computador.

A imagem bitmap e seus pixels

Se você não faz ideia do que é um bit, basta pensar que cada pixel tem um valor específico que o computador vai interpretar e exibir na tela. Tendo isso em mente, fica fácil compreender que cada pixel terá um aspecto visual diferente e com isso podemos entender como as imagens são formadas.

Aqui está o que difere uma imagem bitmap de uma vetorial (em que os elementos são dados por valores matemáticos). Para saber ainda mais sobre as diferenças entre os pixels e os vetores, confira nosso artigo “Quais as diferenças entre pixels e vetores?”.

Pixels: eles definem as dimensões

Talvez você ainda lembre-se das aulas de desenho geométrico em que o professor falava: criem um retângulo com 10 cm de largura e 6 cm de altura. Para fazer isso você utilizava uma régua com as devidas medidas e conseguia criar as arestas para formar a forma pedida.

Com as imagens digitais acontece exatamente o mesmo. Você cria uma nova imagem através da definição de pixels que a imagem terá na largura e na altura. Claro, no computador não é preciso utilizar uma régua para criar nada, todavia, ao usar o Photoshop – ou qualquer outro editor de imagem – a primeira coisa que você faz é definir as dimensões da imagem, sendo possível inclusive definir o tamanho em centímetros.

Definindo dimensões da imagem

Para desmentir que tudo na computação é igual ao real, podemos salientar a diferença entre os suportes para as imagens. Como assim? Ao criar um desenho com lápis, você provavelmente vai utilizar um papel. Este papel, em geral, tem forma retangular, no entanto, você pode transformá-lo em um polígono diferente ou até mesmo em uma circunferência.

Ao criar desenhos no computador, o suporte (o papel virtual que conterá o desenho) sempre é retangular, justamente porque os programas da web só interpretam imagens com duas dimensões (largura e altura). Da mesma maneira, os programas de edição não podem utilizar diferentes suportes, pois as impressoras não utilizam papéis com outros formatos.

O tamanho real de um pixel

Ao contrário do que alguns pensam, o pixel não tem uma medida definida em centímetros. O pixel pode ter diferentes tamanhos, sendo que o tamanho visual do pixel está diretamente relacionado à quantidade de pixels por polegada (ppi, que significa pixel per inch).

Para entender isso, basta você experimentar criar uma imagem em um editor de imagem (pode ser no The GIMP ou no Photoshop). Um dos campos que podem ser alterados na criação de uma imagem é a resolução. Ela pode ser definida em pixels/inch (pixels por polegada), em pixels/cm (pixels por centímetro) ou em pixels por outras unidades.

Esse valor vai definir a qualidade da imagem e também o tamanho real dela. Por exemplo, uma imagem de 1920 x 1080 pixels com resolução de 1000 pixels por centímetro terá o seguinte tamanho: 1,92 cm na largura e 1,08 cm na altura. Outra imagem de 1920 x 1080 pixels com resolução de 100 pixels por centímetro terá um tamanho avantajado: 19,2 cm na largura e 10,8 cm na altura.

100 pixels em 1 centímetro

Em se tratando de imagens exibidas na tela de algum dispositivo, o tamanho do pixel vai variar conforme a resolução suportada pelo aparelho e também em decorrência do tamanho do display. Ou seja, se você abrir uma imagem em uma tela de 13 polegadas que trabalhe com a resolução de 1920 x 1080 pixels e depois visualizar a mesma imagem em uma tela de 55 polegadas, a qual opera na mesma resolução, notará uma diferença enorme entre os pixels.

A imagem não mudou de tamanho, os pixels que a compõe também não, mas cada tela irá adaptar o conteúdo ao espaço disponível, o que resultará em uma diferença na representação do pixel e, consequentemente, pixels de tamanhos diferentes. Na tela menor, o pixel terá aproximadamente 0,15 mm, enquanto que na tela maior ele terá mais de 0,6 mm.

Câmeras e seus megapixels

Você provavelmente deve ter uma câmera digital em casa e, consequentemente, já deve ter ouvido falar em megapixels. Mas afinal, o megapixel é um pixel “superdesenvolvido”? De maneira alguma. A “unidade” (se é que podemos chamar assim) megapixel foi criada para designar a quantidade de pixels presente em uma imagem.

Além disso, o termo tornou-se um item para comparação e um fator que indica qualidade. Nas câmeras digitais o “megapixel” é usado para indicar a quantidade de pixels que o produto consegue captar. Todavia, você pode atribuir megapixels para quaisquer imagens do seu PC. Como fazer isso?

Câmeras e seus megapixels

Para obter a quantidade de megapixels de uma imagem, basta multiplicar o valor da largura pelo da altura. Você deve obter um número bem grande, na casa dos milhares ou milhões. Veja como calcular os megapixels no exemplo abaixo:

1) Ao abrir uma imagem, verifique quais as dimensões informadas pelo editor de imagens;

2) Em nosso exemplo, vamos supor que a imagem tenha 1920 x 1080 pixels;

3) Abra a calculadora e multiplique os valores acima;

4) O resultado obtido será 2.073.600.

Este é o número de pixels que sua imagem possui. Para saber os megapixels, basta pegar o primeiro número do valor acima. Sendo assim, nossa imagem tem “qualidade” de 2 MP, ou simplesmente, tem 2 milhões de pixels. Caso o resultado não chegue a 1 milhão, sua imagem terá menos de 1 MP, assim como algumas webcams possuem 0,3 MP.

Imprimindo pixels

Como é possível compreender, os pixels podem ser transformados em medidas de centímetros, polegadas e muitas outras. Todos os editores de alta qualidade (como o Photoshop, o PhotoPaint, o The GIMP e o Paint.NET) possuem uma função para tal atividade e usá-la é essencial na hora de imprimir fotos e imagens diversas.

A conversão de pixels para centímetros deve ser devidamente calculada para que a imagem não perca qualidade. Para impressão, atentar para este detalhe é fundamental, pois realizando a conversão previamente em um editor, fica muito fácil saber o tamanho do papel necessário e a qualidade final.

Para fazer o ajuste é bem simples, acompanhe:

1) Abra o editor de imagens e acesse a opção para redimensionar;

2) A maioria dos editores apresenta campos para alterar as dimensões, a resolução e o tamanho para impressão. Verifique todos esses detalhes e veja com que tamanho sua imagem será impressa;

3) Uma foto com 15 cm por 10 cm tem um tamanho aceitável. Caso o tamanho para impressão esteja maior que isso, você deve efetuar alterações na resolução. Valores aceitáveis para a resolução são: 150 ppi e 300 ppi. Insira um desses valores para verificar a alteração no tamanho da impressão;

4) Jamais altere as dimensões em pixels (altura e largura) ou os valores de impressão (em cm). O ajuste sempre deve ser realizado através do campo “resolução”.

Uma câmera de 10 MP captura imagens com as seguintes dimensões: 3648 x 2736 pixels. Imagens com estas dimensões são perfeitas para a resolução de 300 ppi e geram resultados excelentes na impressão.

Ajuste suas fotos

Detalhe: não confunda ppi com dpi. O “ppi” (em português é comum usar ppp, pixels por polegada) é um valor utilizado diariamente para trabalhar com imagens nos computadores. O “dpi” (dots per inch, que em português significa pontos por polegada) serve mais como um índice de qualidade da impressora.

As telas sempre exibem pixels

As imagens digitais sempre são exibidas com a utilização de pixels. Não importa se você trabalha com imagens bitmap ou vetor, todas as imagens são convertidas em pixels para que o monitor possa reproduzi-las.

E não somente no monitor, mas em quaisquer displays que você utilize, verá somente pixels. Claro que você já deve saber disso, afinal, se você já comprou uma TV, um monitor, um smartphone, um video game portátil ou outros eletrônicos, deve ter notado que havia uma especificação indicando tal valor.

Zoom: o pixel dá as caras

Você provavelmente já ampliou alguma imagem no seu computador e com certeza ficou se perguntando o motivo de tudo ficar quadriculado quando ampliado. Bom, talvez você já tenha compreendido o porquê dos pixels aparecerem quando o zoom é utilizado.

No entanto, uma explicação extra sempre é interessante. Ao aproximar o campo de visão em uma parte da imagem, é natural que o computador tente mostrar pixels que estavam ocultos por conta da baixa resolução ou espaço da tela. Todavia, nem sempre a imagem tem muitos pixels por polegada e aí que os “pixels crus” aparecem.

Os pixels aparecem quando ampliamos a imagem

Chamamos de “pixels crus” aqueles que mostram o verdadeiro formato, ou seja, que aparentam ser um quadrado. Os pixels que não podem ser vistos a olho nu serão vistos apenas como um ponto na tela e, considerando a distância, ele será apenas um ponto junto com outros, que formará uma bela imagem.

Vale salientar que redimensionar uma imagem para um tamanho maior do que o original gera o mesmo defeito notado com o zoom aproximado. Sendo assim, caso você deseje ampliar uma imagem, é recomendado que o faça até 120%, pois um tamanho exagerado pode resultar em uma imagem pixelizada.

Qual é a resolução ideal?

Desde o surgimento dos primeiros computadores, a palavra resolução teve um novo sentido. Utilizada para definir o número de pixels que determinado produto pode exibir em sua tela, a resolução tornou-se um aspecto importante na hora da compra de um aparelho.

Entre tantas resoluções, você deve conhecer as principais e saber o que vai diferenciar a resolução na hora em que você for utilizar algum produto. Por exemplo: ao adquirir uma televisão de LCD, LED ou Plasma, você deve ter em mente quais atividades vai realizar. Através desta análise, você pode definir o tamanho de tela e a resolução que necessitará.

Uma televisão de 37 polegadas é ideal para utilização em ambientes onde o espectador vá ficar posicionado a 3 metros de distância da tela. Considerando essa distância, você pode aproveitar até mesmo filmes em Blu-ray com qualidade Full HD e não verá imperfeições.

Claro que, para poder desfrutar dessa qualidade, será necessário adquirir uma TV que trabalhe com a resolução de 1920 x 1080 pixels e usar um aparelho compatível com discos Blu-ray. Mais informações sobre resoluções podem ser conferidas no artigo "Eu quero uma televisão grande, mas que tamanho devo comprar?"

Fazer o cálculo é bem fácil

Da mesma maneira que você faz a análise para uma televisão, também deve estar atento com a resolução na hora de adquirir um smartphone. O iPhone 4 é um ótimo aparelho que trabalha com a incrível resolução de 960 x 640 pixels, o que significa que ele exibe 326 pixels por polegada. Sendo assim, cada pixel será exibido em 0,07 mm, número que representa algo superior ao que olho humano pode enxergar.

Nesta hora você pensa, “para que eu preciso de um smartphone que faça mais do que meu olho vê?” A resposta é simples e bem lógica. O iPhone 4 foi projetado com tal resolução para exibir conteúdo de alta definição sem perder muita qualidade. Vídeos do YouTube que estejam caracterizados com a resolução 480p podem ser reproduzidos sem a necessidade de redimensionamento.

O conteúdo com resolução HD (720p) necessitará apenas de uma leve mudança nas dimensões. Com isso, o iPhone 4 torna-se uma opção excelente para a web — que vem ganhando grande quantidade de vídeos com ótima qualidade — e também para filmes de alta definição.

Você pode não ver, mas há milhares de pixels na tela do iPhone 4!

Fonte: reprodução do site oficial da Apple

Então quer dizer que outros smartphones não prestam para a web e vídeos com alta qualidade? De maneira alguma. O iPhone 4 tem uma leve vantagem nesse aspecto, mas há uma enormidade de smartphones (inclusive os antigos modelos do iPhone) que tem suas telas programadas para conteúdos diferentes.

Caso você adquira um Motorola Milestone, por exemplo, poderá aproveitar conteúdo de alta definição com uma qualidade muito semelhante. Este aparelho conta com resolução de 854 x 480 pixels, o que significa que boa parte dos vídeos do YouTube (os quais contam com resolução de 480p) poderão ser exibidos em tela cheia — enquanto que no iPhone 4 os mesmos vídeos não ocupariam todo o display.

Outros smartphones mais modestos possuem resoluções mais baixas, como é o caso do Samsung I5500 Galaxy 5, que opera com resolução de 320 x 240 pixels. Este aparelho terá de compactar os vídeos da web para exibi-los em tela cheia, o que significa que alguns defeitos podem aparecer com mais facilidade.

Os monitores são aparelhos bem versáteis, que trabalham com muitas resoluções. No entanto, na hora de comprar um monitor, é importante observar a resolução máxima suportada. Um produto que trabalhe com resolução de 1920 x 1080 pixels apresentará defeitos visíveis — e incômodos — se estiver operando com resoluções abaixo disso.

Nos monitores, a resolução máxima é a resolução nativa (assim como nas televisões), o que significa que a tela não deve trabalhar com resoluções inferiores. Para exemplificar, pense que o display de um monitor tem capacidade para exibir 1920 pixels em uma linha horizontal.

Analisar antes de comprar é importante

Caso o utilizador altere a resolução no sistema para 1280 pixels na horizontal, o monitor terá de trabalhar com pixels maiores e isso significa que uma região que exibiria somente um pixel, mostrará metade de um. Isso vai gerar pixels com baixa definição ou com resolução abaixo do programado.

E nos monitores surge um problema semelhante ao que acontece nos celulares. Um monitor com resolução Full HD, por exemplo, vai exibir vídeos do YouTube em um tamanho bem pequeno. Sendo assim, esse tipo de produto vai ser ideal somente para assistir aos vídeos que estejam com qualidade HD ou Full HD. Esse tipo de conteúdo já pode ser encontrado no YouTube, mas de forma reduzida.

Monitores Full HD são indicados mais para quem vai utilizar o computador para assistir filmes em Blu-ray e para jogar games de alta definição. Caso você não se encaixe nestas situações, talvez um monitor com resolução inferior seja mais indicado. Vale salientar que existem monitores de mesmo tamanho com resoluções diferentes.

Sendo assim, você deve tomar muito cuidado na hora de comprar, pois pode adquirir um produto de 23 polegadas com qualidade Full HD ou um de mesmo tamanho que opere com a resolução de 1680 x 1050 pixels.

O que é um pixel morto?

Não precisa chorar, os pixels não costumam morrer. Pixels mortos são aqueles que vêm com defeito de fábrica, ou seja, eles não acendem e consequentemente não apresentam nenhuma cor (fica um ponto preto no meio da sua tela).

Esse tipo de pixel costuma aparecer apenas em produtos novos e, segundo as próprias fabricantes, mesmo com muito tempo de uso, os pixels não costumam adquirir tal característica.

Pixel art e o verdadeiro valor dos pixels

Para finalizar este super artigo, nada melhor do que conhecer algo de divertido no mundo dos pixels — apesar de que editar imagens já é algo muito legal. Você provavelmente já deve ter visto, mas quem sabe não sabia o nome das imagens pixelizadas usadas em diversos lugares. Sim, os “pixels crus” podem formar um estilo diferente de arte; estamos falando de Pixel Art.

O píxel vira arte

Fonte: reprodução do site oficial do Habbo

Esse tipo de imagem é comum na internet, sendo que até jogos — como o famoso Habbo Hotel — utilizam este recurso para criar um visual diferente. Criar imagens em Pixel Art não é muito difícil, sendo que você precisa apenas de paciência para que suas imagens comecem a tomar forma.

Falando em pixel, ele é muito usado na web, mas nem sempre dão o devido valor ao pequeno notável. Não é o caso do site Million Dollar Homepage, em que um internauta decidiu vender pixels. A ideia era vender 1 milhão de pixels, cada um por 1 dólar. Todo usuário que comprasse poderia ter seu link divulgado na página. Em pouquíssimo tempo, o proprietário do site vendeu todos os pixels e ganhou 1 milhão de dólares.

1 milhão de pixels em uma página que vale 1 milhão de dólares

Cansado dos pixels?

Nosso artigo, finalmente, acaba por aqui. É provável que você não queira ler a palavra pixel por alguns dias, mas provavelmente você deve ter aprendido algo útil. Você gostou deste especial? Tem alguma informação complementar? Compartilhe com todos sua opinião.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!