Lembra que em outubro do ano passado o console mais recente da Nintendo ganhou sua versão emulada para computadores? Na época, o Cemu, mesmo estando em um estágio bem inicial de desenvolvimento, deu uma prévia do seu poder ao rodar de forma rudimentar – com baixa taxa de frames – alguns jogos do Wii U. Agora, com sua atualização 1.4.0 liberada na web esta semana, o emulador mostra uma evolução fantástica e passa a rodar grandes títulos da plataforma com qualidade e fluidez.

Até há pouco tempo, o software criado por Exzap e mantido com a ajuda de mais alguns desenvolvedores se mostrava mais como uma solução conceitual para rodar alguns clássicos do video game da Big N no PC do que um emulador propriamente dito. Isso porque ele exigia hardware de ponta para exibir não muito mais do que o menu inicial dos jogos e acabava travando constantemente. Com o update, o sistema fica bem mais próximo do original, tornando a jogatina não só possível, como agradável.

Como é possível conferir no vídeo logo acima e no topo da matéria, games da casa, como Super Mario 3D World e Captain Toad: Treasure Tracker, são reproduzidos com uma boa quantidade de detalhes no Cemu. De acordo com alguns internautas, máquinas mais robustas estão chegando a rodar a aventura do encanador bigodudo e de seus amigos a cerca de 50 quadros por segundo – uma marca bem impressionante para um emulador com apenas alguns meses de vida.

No caso do badalado e gigantesco Xenoblade Chronicles X, o programa sofre um pouco para colocar na tela uma versão emulada da obra máxima da Monolith Soft. Ok, é possível brincar no mundo do jRPG através do teclado e mouse, mas o fps é consideravelmente mais humilde do que nos títulos anteriores e o número de artefatos e engasgadas, em geral, é bem maior. Ainda assim, não deixa de ser um feito e tanto para Exzap e sua equipe, não é?

Futuro nebuloso

No fórum do NeoGAF e em outras comunidades pela internet, há relatos de que o emulador consegue rodar consideravelmente bem o aclamado Super Mario Maker, embora ele só possa ser curtido no modo offline – o que elimina a chance de experimentar os mapas criados pela galera aficionada pela Big N e por suas criações. Falando na Nintendo, aliás, ainda não se sabe se a companhia japonesa está acompanhando de perto esse crescimento e a onda de melhorias no Cemu.

Partindo do ponto que a empresa não vê problemas em detonar vídeos de gamers no YouTube ou acabar com festinhas regadas a pokémons e que o programa simula uma plataforma atual da marca, as chances são de que alguma atitude judicial vai ser tomada assim que o software se tornar uma ameaça real para os negócios da dona de Mario, Zelda, Metroid e outras franquias. Considerando que o Wii U deve parar de ser fabricado ainda este ano, será que a querida Nintendo vai fazer vistas grossas para essa iniciativa?

Você é adepto do uso dos emuladores ou acha que esses programas incentivam a pirataria? Comente no Fórum do TecMundo!