Através do site oficial do Netflix, o vice-presidente de conteúdo do serviço, Davi Fullagar, afirmou que a empresa pretende aplicar novas restrições na plataforma nas próximas semanas. O objetivo final dessas medidas é fechar o cerco contra aqueles que utilizam meios – como proxies e VPNs – para visualizar o acervo e conteúdo de outros países.

“Nas próximas semanas, quem usa proxies e unlockers só conseguirá o serviço no país em que está no momento. Estamos confiantes que essa mudança não vai impactar os assinantes que não usam proxies”, afirmou Fullagar através do site da Netflix. Recentemente, durante a CES 2016, a empresa afirmou que pretende transformar o serviço em uma plataforma global, sendo distribuído para mais de 190 países.

Bloqueio por região

Diante da provável polêmica que essas medidas podem gerar, Fullagar admitiu que ainda há muitas melhorias a serem implementadas em relação a distribuição de conteúdo ao redor do globo. “Precisamos fazer algumas coisas antes de poder oferecer para as pessoas os mesmos filmes e séries em qualquer lugar. Enquanto isso, vamos continuar respeitando e reforçando o licenciamento de conteúdo por localização geográfica".

As produções originais do Netflix, como séries, filmes e documentários, em breve estarão disponíveis globalmente a partir do dia de lançamento – o que é muito bom para todos. Porém, conteúdos com restrições regionais ou licenciados para algumas localidades representarão um desafio realmente preocupante para a companhia. Para lidar com esse problema, a Netflix não informou como pretende detectar quais são os assinantes que estão utilizando proxies e VPNs para acessar o acervo de outros países e como impedirá essa prática.

Você usa proxies e VPNs para acessar o acervo do Netflix em outros países? Comente no Fórum do TecMundo!