Como gravar conteúdos de alta definição em DVD?

Fazer vídeos com a sua câmera FullHD é uma das suas maiores diversões, certo? Então aprenda a gravar em DVD!
  • Visualizações74.783 visualizações
Por Luísa Barwinski em 2 de Março de 2009

Aquela sensação boa de ter produzido um material com uma ótima qualidade é bastante confortável, não é? Só que na hora de gravar um disco com o seu material apareceu aquele aviso “Espaço em disco insuficiente”. É, aquele seu DVD não aguenta o formato de alta-definição. A sua primeira ideia é comprar um gravador de Blu-ray, mas o orçamento não anda lá muito favorável, não? Pois então se prepare para gravar seu conteúdo HD em um DVD sem maiores complicações.

O que você pode fazer nessas horas é converter o seu arquivo para um formato que caiba em um DVD convencional de 4,7 GB ou aquele de camada dupla, com 8,7 GB. Mas nem tudo é perfeito. É importantíssimo lembrar que as conversões deste tipo – que deixam o arquivo mais leve – provocam uma perda de qualidade inevitável no seu material. Portanto, não fique surpreso se a qualidade cair um pouco.  Tudo tem um preço. Este é o que se deve pagar para que o seu vídeo de alta definição caiba em uma mídia DVD.

Por que isso acontece?

Os arquivos de alta definição são imensamente maiores do que os mpeg-2 que são convencionalmente gravados em mídias ditas “caseiras”. Uma situação análoga acontece quando tentamos gravar arquivos maiores do que 700 MB em um CD comum. Assim, os vídeos em “high definition” (alta definição), tendem a pesar mais de 4 GB, tomando por completo o espaço disponível em discos de DVD comuns.

Contudo, se você possui um gravador de Blu-ray, tudo está resolvido porque este tipo de disco suporta a gravação de 25 GB de dados em uma mídia de camada simples e 50 GB em discos de camada dupla. É por isso que se você não quer perder um décimo sequer da qualidade do seu material, deve procurar alguém que tenha um gravador de Blu-ray para alocar os seus vídeos. Você também pode buscar drives que leiam e queimem essa nova mídia para comprar. Clique aqui para ver um comparativo entre gravadores de discos.

Como fazer para converter estes arquivos?


O processo depende de softwares especializados em conversão de vídeos. Entretanto, não é qualquer um que consegue fazer este tipo de conversão. Considerando que você quer fazer a gravação do material transferido diretamente da sua câmera, os softwares de edição de vídeo são uma boa ideia. Além de você poder converter o vídeo para um formato mais leve, já edita as partes que serão utilizadas. Contudo, se você quiser gravar o material bruto, apenas escolha um formato convencional e grave no DVD.

Alguns programas que podem ajudar bastante são os editores de vídeo da Adobe, o Premiere Pro e o Premiere Elements. Mas se você procura uma opção gratuita, o VirtualDub, Windows Movie Maker e o VideoSpin são ótimas opções. Sem contar, é claro, o programa que deve ter vindo junto com a sua câmera. Normalmente, é neste programa que os usuários mais leigos irão encontrar melhores soluções por estes softwares oferecerem interfaces altamente intuitivas e até mesmo assistentes de edição.

Para que você não se perca aqui está uma pequena lista dos formatos que são compatíveis com DVDs:

  • AVI
  • MPEG-2
  • WMV
  • VOB
  • E outros

Todo cuidado é pouco

Depois de ter transferido o vídeo da câmera para o computador e tê-lo convertido, o momento mais crítico é o da gravação. Isso porque os gravadores mais modernos tem velocidades de gravação bastante altas e pode haver conflitos de região de DVD. As regiões de disco são restrições de cada um deles a determinados países. Este tipo de bloqueio faz com que DVDs distribuídos em uma determinada região não sejam “contrabandeados” para outros países, e assim possam cumprir os calendários das gravadoras e produtoras.

Dessa maneira, os leitores de DVD fabricados no Brasil poderão ler somente os discos da região 4, que é a nacional. A região 0 ou também conhecida por região 9, é aquela que não possui restrições, logo pode ser reproduzida em qualquer aparelho. Agora que você já sabe disso, pode especificar a região de gravação do seu DVD no seu software próprio para isso. Uma boa sugestão que nunca sai de moda é o DVD Shrink. Neste programa é possível fazer tudo que diz respeito à gravação de DVDs.

Também pode acontecer de um leitor não conseguir desempenhar sua função com discos gravados em alta velocidade. Portanto, fique atento para este detalhe. Estes gravadores mais novos costumam gravar em até 20x e como já foi dito, todo cuidado é pouco nesta hora. Então procure gravar seus DVDs em velocidades não muito elevadas para que possam ser lidos em qualquer dispositivo.


Muito bem, leitores do Baixaki! A dica de hoje fica por aqui. Fiquem ligados para as próximas dicas do site!



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!