Há pouco tempo, a Intel lançou um novo conceito de desktops portáteis chamado Ultratops. São computadores que apresentam um hardware poderoso, mas são bastante pequenos perto de um desktop comum.

Nós analisamos o modelo Cubi, da MSI, com um processador Intel Core i5. Fizemos diversos testes para as mais diferentes utilizações, como aplicações de produtividade, navegação na web e alguns jogos – de leves a pesados. 

Design

A MSI caprichou no design do Cubi, que não segue os padrões dos Mini PCs da Intel. A carcaça dele é toda preta, com um acabamento fosco. O botão power fica logo na superfície, bem destacado. Na parte da frente, duas entradas USB 3.0 e uma entrada para fones de ouvido e microfones.

Na parte de trás é possível encontrar a conexão de força, uma saída de vídeo HDMI e outra DisplayPort, além de mais duas portas USB 3.0. Também há uma entrada ethernet para conexão de cabos de rede. Vale lembrar que o mini PC vem com WiFi embutido.

Mesmo com as dimensões reduzidas do computador, a organização dos conectores permite que os usuários façam uso deles sem problemas.

Hardware

Apesar de ser pequeno, o aparelho conta com um excelente hardware, que apresenta bom desempenho. Como um mini PC pode ter diversos usos, de uma central de mídia até uma forma mais portátil de usar ferramentas de produtividade, nós fizemos vários testes.

Desempenho

Logo de cara, percebemos que a inicialização do Windows 10 é bastante rápida e tudo funcionou de forma bem fluida. Pode até parecer um pouco tolo, mas computadores mais fracos tropeçam um pouco durante navegações supostamente simples pelo sistema operacional – o que não foi o caso por aqui.

A navegação por sites utilizando o Microsoft Edge também se mostrou rápida e sem nenhum travamento, seja por sites com textos e imagens ou assistindo a vídeos no YouTube.

Para quem pensa em utilizar o mini PC no escritório – e a ideia é se prender principalmente a suítes Office –, não precisa se preocupar. Seja para digitar textos ou editar planilhas, tudo funciona de forma bastante fluida.

Muita gente busca uma forma prática de assistir a filmes e séries na sala de estar. Por isso, experimentamos reproduzir alguns filmes. Depois de todos os outros testes, nós já esperávamos um bom desempenho. Porém, a surpresa foi que, mesmo em 4K, não vimos nenhum travamento na imagem.

O nosso teste de ferro para o Cubi foi executar diversos jogos e ver o poder do chip gráfico interno. Começamos com Braid, um jogo mais leve e simples, que rodou sem problema algum. Depois, passamos para o The Sims 4, um pouco mais pesado. Ficou bom, mas tivemos que baixar os gráficos para uma configuração média-baixa para conseguir deixá-lo fluido.

O último teste ficou por conta de Star Wars Battlefront. Os gráficos altos deixaram a movimentação extremamente devagar, mas, assim que baixamos a configuração e a resolução, foi possível ver uma grande melhora, tornando-o até jogável, mas um pouco feio.

Vale a pena?

Se você quer uma solução simples, portátil e bonita para seu escritório ou sala de estar, ele pode ser perfeito. O MSI Cubi se saiu muito bem em praticamente todos os testes que fizemos. Só ficou devendo um pouco no caso de jogos mais pesados, o que é compreensível, já que ele não tem uma placa de vídeo dedicada a isso.

Se o que você quer é trabalhar com softwares leves, navegar na web e assistir a filmes, é uma excelente escolha. Mas vale ficar de olho no preço, que varia de acordo com o modelo escolhido e custa a partir de R$ 1,7 mil – um pouco caro para uma central de mídia, por exemplo.

Esse produto pode ser adquirido na loja virtual da Aldo Componentes Eletrônicos.