O mundo da tecnologia ainda está em fase de luto pelo fim da Motorola, que será absorvida de vez por sua atual dona, a Lenovo, que passará a utilizar somente as tecnologias da marca e o nome da linha "Moto". Ainda assim, é hora de seguir em frente — e um executivo da companhia chinesa deu algumas pistas do que esperar por aí.

De acordo com o vice-presidente sênior da Lenovo, Chen Xudong, os smartphones da linha Moto em 2016 terão algumas características em comum e serão direcionadas para o mercado mais top de linha (a família Lenovo Vibe vai cuidar dos consumidores de entrada ou intermediários). A informação foi revelada em uma entrevista para o site chinês Tech Sina.

O que vai mudar

Para começar, os dispositivos terão todos um sensor biométrico. O executivo usou a palavra "embutido", o que não revela muita coisa. Porém, isso pode significar a tecnologia da Qualcomm que, embutida direto na tela, não exige um botão específico para reconhecimento.

Além disso, os dispositivos Moto apresentarão tela de 5" ou mais — possivelmente representando o fim ou a atualização da linha Moto E. A ideia é lançar um número menor que 15 dispositivos entre todas as famílias da Lenovo, cortando bastante a quantidade de produtos. O mercado ocidental e oriental serão igualmente agradados, o que pode significar mudanças no design ou versões alternativas lançadas para cada canto do mundo.

Por fim, Xudong confirmou que as interfaces Vibe UI e a personalização quase pura da Motorola para o Android serão mescladas em uma só em 2017, virando o padrão para toda a linha.

A Lenovo acertou ou errou “matando” a marca da Motorola? Comente no Fórum do TecMundo