Mito ou Verdade: placas-mãe com PCI-e 3.0 são uma fraude?

A nova versão do barramento já está disponível, mas alguns testes comprovam que ele não oferece benefícios. Será que as fabricantes enganaram os consumidores?
  • Visualizações50.475 visualizações
Por Fabio Jordão em 6 de Fevereiro de 2012

Nos últimos dias, diversos benchmarks surgiram na web mostrando todo o potencial da AMD Radeon HD 7970. Os testes comprovaram claramente que essa é a placa gráfica mais potente com apenas um núcleo. Surpresa? Lógico que não, isso já era de se esperar.

Entretanto, um dado que intrigou muitas pessoas foi o resultado obtido na comparação entre a operação da GPU com o barramento PCI-Express 2.0 e 3.0 — versão mais recente, que permitiria explorar o potencial extra da placa. Por incrível que pareça, o equipamento obteve resultados quase idênticos entre os sistemas com diferentes slots.

Mito ou Verdade: placas-mãe com PCI-e 3.0 são uma fraude? (Fonte da imagem: Divulgação/PCI-SIG)

E foi a partir dessas análises que surgiu um mito de que as placas-mãe com slot PCI-Express 3.0 são uma fraude. Para investigar o assunto, o Tecmundo avaliou as diversas notícias recentes, as especificações das placas e chipsets, os testes realizados e, também, documentos sobre a tecnologia. Agora, vamos desvendar se isso é um mito ou é a mais pura verdade.

Slots PCI-Express 3.0 chegaram para ficar!

Sem demora, vamos responder logo à grande pergunta. Não, as placas-mãe com PCI-Express 3.0 não são fraudes — ainda que existam exceções. A maioria dos modelos que apresenta compatibilidade com a nova tecnologia, de fato, conta com um projeto PHY.

Essa sigla (PHY) indica que a placa possui um projeto físico que possibilita o uso da terceira geração do barramento PCI-e. Além disso, as placas que foram utilizadas nos diversos benchmarks oferecem um chipset capaz de trabalhar com o novo padrão.

Mito ou Verdade: placas-mãe com PCI-e 3.0 são uma fraude? (Fonte da imagem: Divulgação/ASUS)

Aliás, o chipset mais comum é o X79 que, por sinal, não apresenta em suas especificações o suporte para a tecnologia PCI-Express 3.0. Apesar disso, está mais do que comprovado de que este é o único componente que permite usar todo o potencial do PCI-e 3.0 — ao menos isso é a mais pura verdade enquanto não aparecem novos chipsets ou as CPUs Ivy Bridge e os novos chips da AMD.

Placas-mãe falsas...

Há também situações em que as fabricantes de placas enganam o consumidor, alegando que oferecem uma série completa de produtos, quando na realidade a história é um pouco diferente. É o caso da Gigabyte, que anunciou um leque de 40 placas-mãe prontas para o PCI-Express 3.0.

Mito ou Verdade: placas-mãe com PCI-e 3.0 são uma fraude? (Fonte da imagem: Reprodução/Toms Hardware)

A situação complicou, porém, quando a MSI provou que a marca oferecia apenas um modelo com suporte à nova tecnologia. A notícia divulgada pelo site Tom’s Hardware teve grande repercussão, o que agora serve de alerta para quem está pensando em adquirir uma nova placa-mãe.

Placas de vídeo limitadas

Não há dúvida de que as placas-mãe oferecem suporte, porém, surge uma nova pergunta: por que a Radeon HD 7970 apresenta desempenho idêntico com o PCI-e 2.0 e 3.0? Você pode não acreditar, mas a realidade é que a nova placa da AMD não demanda tanto potencial do slot e também não entrega uma quantidade de dados absurdamente impossível de gerenciar.

A AMD Radeon HD 7970 pode trabalhar com o barramento PCI-Express 3.0. Contudo, não há necessidade disso, visto que a versão 2.0 ainda consegue dar todo o suporte necessário para a placa. Nos diversos testes realizados, fica claro que a placa se comporta de forma semelhante com os dois tipos de barramento, podendo existir uma margem de 1% de vantagem para qualquer lado.

Isso não a torna mais fraca, aliás, em qualquer teste realizado está mais do que claro que a nova AMD Radeon é a placa mais poderosa de um único núcleo, deixando a NVIDIA GTX 580 comendo poeira. Entretanto, nem esse poder absurdo da nova Radeon exige a utilização do novo PCI-Express.

A mentira do marketing

Tudo isso esclarecido, ainda resta saber o porquê de tanta confusão. Basicamente, o problema consiste nas informações imprecisas de diversas fabricantes. A primeira a errar foi a AMD, que relatou a compatibilidade com os slots PCI-Express 3.0, mas que não notificou os consumidores o fato de que a placa não tem ganhos significativos com o novo barramento.

Não bastasse isso, as fabricantes de placas-mãe fazem propaganda em cima de um recurso que ainda não pode ser utilizado. Os novos componentes são compatíveis com o PCI-e 3.0, entretanto, para alavancar as vendas, as empresas fazem questão de adicionar selos e propagandas informando sobre o “dobro de desempenho”. O problema é que ninguém avisa que não há produtos capazes de usar todo o potencial do novo barramento e que todo esse potencial não será utilizado.

O futuro das GPUs é logo ali

Como de costume, a AMD lançou mais uma geração de placas gráficas antes da concorrência. A Radeon HD 7970 é apenas a primeira placa da nova geração de GPUs da fabricante. Modelos mais simples não devem oferecer diferenças no uso do PCI-e 3.0, porém, a futura Radeon HD 7990 deve requisitar e usar parte do potencial oferecido pela nova geração do PCI-Express.

Claro, a NVIDIA ainda não divulgou informações precisas sobre sua nova série de placas de vídeo. Assim, podemos esperar que a GTX 680 ou a GTX 690 traga benefícios notáveis com o PCI-e 3.0. Também existe a possibilidade de que outras séries como a Tesla e a Quadro usem esse potencial, mas, até agora, não há como afirmar nada.

Por ora, alguns mistérios já estão solucionados. Esperamos que você tenha compreendido os enganos que ocorreram. Você já conferiu os testes recentes da Radeon HD 7970? O que achou do desempenho da placa? Deixe sua opinião sobre o assunto!



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!