Como é a lente de uma câmera digital por dentro [ilustração]

Conheça os componentes de uma lente e entenda como o conjunto de lâminas de vidro pode ajudar a criar imagens incríveis.
  • Visualizações24.688 visualizações
Por Caroline Hecke em 16 de Julho de 2013

A lente pode ser considerada como o item mais importante em uma câmera fotográfica. Mas, em termos mais simples, ela não passa de um tubo contendo um conjunto de lâminas de vidro (as lentes em si) alinhadas com precisão para que a luz entre e o sensor capte as imagens, criando a fotografia. É isso mesmo: o que costumamos chamar de “uma lente” na realidade traz diversas lentes dentro dela.

Esses grupos de lentes se movem para ajustar o foco e o zoom óptico da câmera. Além disso, a são responsáveis por transmitir a luz para o sensor da câmera, o que é essencial para a formação da fotografia. Mas você tem ideia de como tudo isso funciona? Aqui, vamos destrinchar para você os principais componentes de uma lente fotográfica, mostrando a função de cada elemento dentro dela.

Estrutura

Lentes com zoom são posicionadas em uma estrutura móvel, que permite que as lâminas ganhem novas posições com o acionamento do anel de zoom ou com mecanismos no corpo da câmera.

Anel de zoom

Ele só aparece nas lentes que contam com o mecanismo de aproximação. O anel de zoom é responsável pela movimentação das lâminas de vidro, o que faz com que elas se alinhem de formas diferentes, se aproximando e se afastando. Essas mudanças criam a aproximação e distanciamento nas imagens.

Anel de foco

O anel responsável pelo foco trabalha da mesma forma que o anel de zoom, no entanto aqui o anel muda a distância entre a lente frontal e os elementos traseiros, dando o foco necessário ao objeto fotografado conforme as preferências do fotógrafo.

Lente frontal

Essa é a primeira lâmina de todo o conjunto. É por ali que a luz entra e, por isso, seu vidro conta com um tratamento especial para diminuir problemas com “fantasmas” e borrões causados pela iluminação.

Motor de foco

Caso o fotógrafo não queria usar o anel de foco, ele pode contar com o sistema de foco automático. Isso é controlado por um pequeno motor existente dentro da própria lente. Com base no que seu sensor capta, ele é capaz de mover as lâminas, assim como o anel focal. No entanto, os movimentos aqui são controlados pelo próprio equipamento.

Lentes internas

Como é a lente de uma câmera digital por dentro [ilustração]Nikon D3 cortada ao meio mostra os grupos de lâminas de vidro que formam as lentes (Fonte da imagem: Reprodução/Tokio Bling)

Os elementos internos da lente contam com um conjunto de pequenas lentes estruturadas em grupos. Elas são responsáveis por refinar os feixes de luz, ajudando a enviar a imagem para o sensor sem perder o foco. Uma lente geralmente conta com cinco grupos de lâminas, totalizando 16 lentes dentro de uma só estrutura.

Contatos

Alguns contatos eletrônicos posicionados na base das lentes são os elementos capazes de manter lente e corpo da câmera em constante comunicação. Assim, você pode acessar funções da lente com botões localizados no corpo da câmera.

Diafragma

Ele é o elemento mais famoso dentro da lente. O diafragma direciona a quantidade de luz que deve entrar na câmera durante o período em que o obturador estiver aberto – já o obturador fica dentro da câmera e determina a velocidade do disparo.

Para criar a imagem perfeita, o fotógrafo deve equilibrar abertura de diafragma, velocidade do obturador e, ainda, o número ISO. Antigamente, o ISO dizia respeito apenas à sensibilidade do filme. Com a criação das câmeras digitais, as mesmas medidas foram adotadas por convenção, no entanto o sensor tem reações diferentes das dos filmes fotográficos.

Diferentes tipos de lentes

Basicamente, é possível dividir as lentes em fixas e com zoom. Dentro dessa divisão, cada lente tem características diferentes que determinam o resultado das imagens. Lentes macro, por exemplo, contam com lâminas de vidro próprias para fazerem cliques muito próximos aos seus objetos.

Já as lentes conhecidas como grande angulares podem ser uma boa pedida para os momentos em que se quer captar o máximo de conteúdo mesmo sem se afastar do assunto da imagem. O responsável por isso é o formato da própria lente, que com um raio maior e uma forma arredondada ganha essa possibilidade de “expandir” a visão da câmera.

Criando as imagens

Nas câmeras digitais, depois que luz atravessa a lente, ela vai para o sensor, responsável por transformar aquilo em uma imagem. Em câmeras analógicas, a luz queimava o filme que, ao ter suas cores invertidas durante o processo de ampliação, revelava os verdadeiros tons da fotografia.

Você pode entender melhor o funcionamento das câmeras compactas e DSLR neste artigo do Tecmundo. Além disso, neste link é possível visualizar de forma detalhada as diferenças substanciais sobre o zoom óptico (este que explicamos aqui) e o digital. Aqui, você também pode entender um pouco mais sobre os estabilizadores de imagens.

Fonte: Stanford University, How it Works, Pop Photo



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!





Shopping Tecmundo