Empresário, ex-CEO da empresa de antivírus que leva seu sobrenome e completamente pirado, John McAfee atacou de novo. Desta vez, ele afirmou que é totalmente capaz de hackear o iPhone e ajudar o FBI a conseguir as informações do celular de um terrorista — coisa que a Apple se recusou a fazer.

Em uma conversa com o site Tech Insider, ele primeiro afirmou que usaria engenharia social, mas depois mudou de ideia. "Como diabos eu vou fazer engenharia social em um celular de um cara morto? Pense nisso", afirmou.

O site não postou a explicação completa, especialmente pela segurança do próprio sujeito. Porém, ele detalhou um pouco o processo. "Eu seria provavelmente preso pelo FBI ou a Apple contrataria alguém para ir atrás de mim", disse, sem que seja possível sabermos se isso é uma brincadeira ou não.

A solução

O jeito de um não funcionário fazer isso é mexer no processador A6, que fica dentro do iPhone 5c. O hardware precisa ser completamente desmontado. Quando o chip for acessado, será necessário entrar com um código de identificação chamado UID, que é pareado com a senha original para criar a criptografia do iPhone.

A partir daí, o FBI teria que usar supercomputadores para adivinhar o código — McAfee garante que eles conseguiriam em cinco minutos. O TechInsider vasculhou a internet e encontrou discussões a respeito do método proposto, indicando que essa realmente seria uma solução alternativa. Até mesmo Edward Snowden acredita que esse seja um método correto, ignorado pela agência porque ela prefere usar caminhos legais e judiciais para conseguir os dados.