Um soldador indonésio chamado Wayan Sutawan tem chamado bastante atenção no seu país por ter, aparentemente, inventado um braço robótico que consegue ler suas ondas cerebrais. A partir disso, o equipamento movimenta o braço paralisado de Sutawan e o torna tão funcional quanto o outro, porém com menor capacidade de movimentação.

O soldador inventor começou a trabalhar em seu equipamento há cerca de seis meses, quando sofreu um derrame e teve o braço esquerdo paralisado. Note que existe uma faixa presa em sua cabeça que, supostamente, contém os circuitos e chips capazes de processar suas ondas cerebrais, interpretá-las e transformá-las em comandos mecânicos em pouquíssimo tempo.

Esse aparelho funcionaria tão bem que Sutawan conseguiu voltar a soldar quase como antigamente, podendo inclusive sustentar sua esposa e três filhos. Contudo, como você já deve ter imaginado até aqui, pouca gente está acreditando nessa história.

É truque?

Apesar de Sutawan ter estudado um pouco de mecânica no ensino médio, é muito difícil imaginar que uma pessoa sem conhecimento técnico tenha conseguido desenvolver algo tão complexo como um hardware capaz de ler ondas cerebrais com tamanha precisão. Pesquisadores com suporte técnico têm trabalhado nisso há anos e, até agora nunca conseguiram algo tão funcional, apesar de terem tido avanços significativos.

Fora esse questionamento, o inventor disse ter construído todo o equipamento com peças sobressalentes que encontrou em sua garagem. Que tipo de garagem teria chips tão complexos sobrando como os que seriam necessários para algo assim? Essa pergunta tem sido feita por muita gente, e, até agora, não há uma resposta.

Algumas pessoas ainda notaram que, no vídeo da TV local em que ele aparece, é possível notar alguns pequenos movimentos do braço esquerdo de Sutawan ao vestir o seu braço mecânico. Isso poderia indicar que ele não tem o membro completamente paralisado, mas apenas enfraquecido. Nesse caso, a construção de um braço que somente potencialize seus movimentos é bem mais plausível.

De qualquer maneira, Sutawan tem sido chamado de “Tony Stark indonésio”. Resta saber se um dia ele também vai conseguir montar um reator Arc e sair voando por ai em um traje metálico.

Será que esse cara da Indonésia realmente criou um braço robótico que “lê seus pensamentos”? Comente no Fórum do TecMundo