Utilizando uma impressora 3D, o engenheiro suíço Cristoph Laimer conseguiu reproduzir o mecanismo de um relógio de bolso do tipo Tourbillon (redemoinho, em francês) em uma escala consideravelmente maior do que o normal. No vídeo acima você pode conferir todo o processo de encaixe das mais de 60 peças utilizadas no intrincado dispositivo, que "de bolso" não tem nada.

Quase todas as partes foram impressas em uma Ultimaker 2, com exceção dos parafusos e pinos próprios de relojoaria. Para desenvolver as peças, o suíço utilizou o programa Autodesk Fusion 360 e disponibilizou o download do projeto gratuitamente em sua página no site Thingiverse para quem quiser se arriscar a fazer o seu próprio relógio em casa.

É necessário dar corda no dispositivo através de uma chave que se encaixa na parte de trás, e no estágio atual ele é capaz de funcionar continuamente por 35 minutos, apresentando uma variação média de apenas meio segundo por minuto. Apesar de isso poder parecer muito, é uma margem de erro bastante pequena se considerarmos que as peças foram todas impressas em plástico.

O Tourbillon, criado em 1795 e patenteado pelo relojoeiro franco-suíço Abraham-Louis Breguet, é um mecanismo que consiste de uma gaiola que contém o ajuste e o escapamento, que são outras partes de um relógio mecânico. A gaiola gira em torno de seu próprio eixo, normalmente uma vez por minuto. Esta rotação constante compensa os efeitos da gravidade quando o relógio está na posição vertical, e isto supostamente melhora a precisão do dispositivo. No entanto, ele não interfere na precisão quando está na horizontal.

Você acha que a impressão 3D vai evoluir até que ponto ainda? Comente no Fórum do TecMundo