10 invenções malucas da James Dyson Award

Confira alguns dos projetos que se destacaram nessa competição para designers e engenheiros explorarem sua criatividade e competência.
  • Visualizações63.250 visualizações
Por Fernando Daquino em 21 de Agosto de 2011

A James Dyson Foundation é uma instituição que tem o objetivo de promover o estudo e o desenvolvimento de novos produtos. Para isso, a organização realiza competições entre estudantes de design e engenharia de 18 países – como França, Canadá, Espanha, Itália, Japão, Alemanha e Austrália.

A James Dyson Award, como é chamada a disputa, pretende incitar a criatividade e encorajar as próximas gerações desses profissionais. Para os melhores inventores são oferecidos prêmios em dinheiro (que variam de mil a 10 mil euros), certificados e troféus.

Em meio a uma infinidade de projetos, alguns se destacam por sua utilidade, excentricidade ou bizarrice. Confira neste artigo algumas das invenções que foram selecionadas para a fase final da competição realizada na Austrália e que podem, futuramente, fazer parte do nosso dia a dia – ou não.

Fonte de água potável

Segundo a divulgação do projeto Solarball, uma em cada oito pessoas do planeta não possui água potável à disposição. O líquido que é indispensável para nossa sobrevivência, quando contaminado, passa de fonte de saúde para causa de doenças. Essa invenção de Jonathan Liow tem o potencial de mudar esse panorama.

O dispositivo utiliza a evaporação para purificar porções de água sujas. O Solarball é capaz de produzir até 3 litros de água potável por dia. Para realizar a purificação, o usuário deve inserir a quantidade de água contaminada desejada no recipiente e expô-lo ao sol.

(Fonte da imagem: James Dyson Award )

Com o aquecimento dos raios solares, a água evapora e acaba condensando ao entrar em contato com a superfície do equipamento. Nesse processo, as impurezas da água são eliminadas. Depois disso, é só pegar um copo e matar a sede.

Questão de sobrevivência

Chris Fox é o criador do 9th Life, um dispositivo inovador de flutuação pessoal. Ele consiste em um colete salva-vidas com alguns aparatos eletrônicos para assegurar que o usuário permaneça a salvo mesmo perdendo a consciência.

As boias acopladas à roupa são infladas por recipientes cheios de CO2. O acionamento pode ser feito manualmente, por meio de uma alça localizada no braço do usuário, ou pelo sistema automatizado. O 9th Life conta com um oxímetro de pulso que monitora o nível de oxigênio no sangue. Quando essa quantidade cai drasticamente, o equipamento inflável é acionado automaticamente.

Além disso, o colete possui um relógio capaz de monitorar os batimentos cardíacos e registrar a velocidade e a distância percorrida. O projeto ainda tem um sistema de sinalização GPS, o qual permite a localização do usuário caso ele fique à deriva.

(Fonte da imagem: James Dyson Award)

Janela energética

A geração de energia elétrica a partir do vento não é uma novidade. Contudo, Tim Binnion inovou na forma de como o ar em movimento é captado e transformado em uma fonte de alimentação para nossas necessidades.

O jovem aboliu as convencionais e enormes hélices, geralmente instaladas em campos abertos, para utilizar uma janela que possui diversas lâminas capazes de se movimentar e gerar energia com ventos de baixa intensidade – o que viabilizaria sua utilização nas cidades.

O WindScreen, como foi batizado o projeto, ainda oferece flexibilidade em sua integração com a arquitetura urbana, podendo ser usado como elemento de decoração. O painel de ventoinhas pode ter sua cor personalizada, permitindo que sua aparência combine com a fachada de qualquer ambiente.

(Fonte da imagem: James Dyson Award)

Binnion afirma que sua invenção é eficiente e econômica. Seis painéis do WindScreen, alimentados por ventos a uma velocidade de 5 m/s, são suficientes para energizar até 13 lâmpadas de 150 W. Além disso, o custo de produção desse equipamento é mais baixo do que o de outras tecnologias “verdes”, como os painéis solares.

Macaco hidráulico para terremotos

Eric Chau é o responsável pelo Hy-Jack, um protótipo de macaco hidráulico telescópico portátil. Você não imagina para que isso sirva? Apesar do nome complicado, essa invenção tem uma utilidade simples e que pode salvar muitas vidas.

O Hy-Jack consiste em um equipamento capaz de levantar ou distanciar objetos muito pesados, o qual foi criado para ser utilizado no socorro de pessoas soterradas por escombros ocasionados por terremotos. Ele permite que grandes blocos de concreto, por exemplo, sejam removidos, possibilitando que os acidentados sejam resgatados.

(Fonte da imagem: James Dyson Award)

O dispositivo é composto basicamente por três partes: os discos que ficam em contatos com os destroços, três hastes estabilizadoras super-resistentes e o cilindro telescópico que se expande com a ação da bomba hidráulica.

História de pescador

O EFD (Emergency Flotation Device), equipamento desenvolvido por Ben Lau, é um dispositivo indispensável para os pescadores que adoram explorar águas traiçoeiras e imprevisíveis, segundo o seu criador. Ele funciona como um colete salva-vidas, mas ocupa menos espaço, é mais leve e oferece a vantagem de sempre estar junto ao usuário.

Caso você esteja pescando e caia no rio, basta puxar a alça vermelha presa à sua cintura para que os dois cartuchos com CO2 do aparelho sejam ativados e a boia, inflada. O EFD é produzido com um polímero chamado ABS – um material com ótima durabilidade e resistência, o que deve evitar que os anzóis furem a boia.

Ampliar (Fonte da imagem: James Dyson Award)

Veículo sustentável

A sustentabilidade é um tema que tem ganhado extrema importância nos últimos anos. Criar produtos que agridam menos a natureza e utilizem recursos naturais renováveis está em alta e as empresas têm investido pesado nesse tipo de tecnologia. O Ajiro é um protótipo de veículo sustentável desenvolvido para centros urbanos.

O que esse triciclo estranho tem de tão diferente? O diferencial desse equipamento não fica apenas no seu visual, repleto de materiais extraídos da natureza de forma responsável. Como é possível perceber pelas imagens divulgadas, toda a estrutura do Ajiro é constituída de bambu, mas o grande macete dessa invenção está na forma como essas partes foram construídas.

Ampliar (Fonte da imagem: James Dyson Award )

Alexander Vittouris, o criador do projeto, desenvolveu uma técnica que ele pretende aplicar para que o bambu seja induzido a crescer com o formato da estrutura desejada para o veículo. Dessa forma, não é preciso utilizar métodos à base de fogo ou vapor.

Irrigação subterrânea

O aumento das temperaturas e a baixa umidade do ar são inimigos implacáveis para a maioria das plantações. Após extensas pesquisas, a evaporação da água do solo foi considerada o principal motivo da morte dos vegetais. Para enfrentar os períodos de estiagem, Edward Linacre desenhou o Airdrop Irrigation.

Esse sistema usa uma pequena turbina (movimentada pela força do vento ou bateria solar) para coletar o ar e enviá-lo para o interior do equipamento. Devido aos raios do sol, o ar possui certa temperatura no ambiente externo, a qual vai reduzindo à medida que o composto gasoso segue para debaixo da terra.

A rápida redução de temperatura do ar faz com que ele inicie o processo de condensação, gerando gotículas de água que são reunidas em um compartimento no fundo do equipamento. Enfim, canos permeáveis levam a água bombeada para as raízes das plantas.

(Fonte da imagem: James Dyson Award)

O agricultor, por exemplo, pode conferir o nível de água armazenada, a pressão com que o ar está entrando no equipamento e a quantidade de energia restante na bateria solar por meio de uma pequena tela de LCD localizada no nível do solo.

Resgate coletivo

Apesar de nos proporcionar ambientes belíssimos e momentos de lazer, o mar esconde grandes perigos em suas profundezas. A praia é um dos locais mais propícios para afogamentos, exigindo muita atenção dos veranistas, mergulhadores e, principalmente, guarda-vidas.

Tendo em mente o brilhante trabalho desses profissionais, Christina Heggie projetou uma prancha robusta capaz de agilizar o salvamento de até oito pessoas simultaneamente. O Mass Rescue Board possui boias autoinfláveis acopladas à prancha, reduzindo o espaço ocupado por esses dispositivos e facilitando a ação do guarda-vidas.

(Fonte da imagem: James Dyson Award )

Suportes para que os afogados se segurem ficam localizados nas bordas da prancha. Em casos mais graves, uma pessoa pode ser transportada sobre o equipamento de salvamento. A parte traseira do Mass Rescue Board é revestida com um material plástico mais resistente, permitindo que ele seja arrastado pela areia sem sofrer danos.

Recipiente abaixo de zero

O Liquid Nitrogen Carrier pode não ter utilidade para a maioria de nós, mas para os cientistas ele deve se tornar um produto de grande valia. Essa invenção, sob a responsabilidade de Joshua Sunghoon Mun, oferece aos profissionais que lidam com nitrogênio líquido uma forma mais prática e segura de manipular seus experimentos.

O diferencial desse recipiente está em seu design. As características que tornam esse equipamento algo inovador são o mecanismo de travamento automático da tampa do recipiente e o sistema de racks para a organização de até quatro cartuchos, com capacidade para dez tubos de ensaio cada um.

(Fonte da imagem: James Dyson Award )

Com o Liquid Nitrogen Carrier, o usuário manipula os tubos de ensaio sem precisar ficar exposto ao nitrogênio líquido, pois basta puxar o cartucho desejado para que os recipientes de vidro sejam removidos do ambiente gélido.

Cuidando da visão

Problemas de visão são comuns em qualquer parte do mundo. Porém, nem todos os países possuem tecnologias e aparelhos suficientes para diagnosticar e tratar a totalidade da sua população, contexto que se agrava em regiões onde a pobreza é predominante.

Pensando em combater essa falta de atendimento, Berty Bhuruth criou uma ferramenta com baixo custo de produção para auxiliar nas prescrições dos oftalmologistas: o OPTImetric. Esse equipamento mede com precisão as dimensões dos olhos – dados importantes para a elaboração de um receituário que ofereça óculos adequados ao usuário.

(Fonte da imagem: James Dyson Award )

Assim, esses profissionais da saúde podem eliminar o cansaço visual de seus pacientes, um sintoma que pode gerar outros problemas visuais. Os dados coletados pelo OPTImetric podem ser transmitidos para outros equipamentos eletrônicos por meio de uma miniporta USB.

Confira mais imagens dos inventos explicitados neste artigo na galeria de figuras abaixo.

.....

Esses não são os únicos projetos interessantes oriundos da James Dyson Award. No site da competição, você pode conferir mais detalhes dos produtos inovadores criados pelos estudantes e participantes dessa criativa disputa.

Qual dessas tecnologias tem potencial de obter sucesso no futuro? Quais desses produtos você gostaria de comprar? Você possui algum projeto maluco para solucionar algum problema?



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!