A Intel anunciou durante a feira CES 2015 um novo e curioso dispositivo para quem não dispensa um bom e velho computador de mesa, mas também não quer um gabinete do tamanho convencional ocupando espaço.

Trata-se do Compute Stick, um dispositivo com forma e tamanho de pendrive que, basicamente, transforma telas e monitores individuais em um computador inteiro. O funcionamento lembra bastante o Chromecast: basta conectar o dispositivo em uma entrada HDMI de um display, assim como conectar a entrada USB no próprio painel ou em outra fonte de energia.

O resultado é um mini computador com as seguintes especificações técnicas:

  • Sistema operacional: Windows 8.1
  • Processador: Intel Atom Bay Trail
  • Memória RAM: 2 GB
  • Armazenamento interno: 32 GB
  • Conectividade: WiFi 802.11n, Bluetooth, microSD e HDMI

Como o computador portátil não é poderoso, a ideia é utilizá-lo para fazer streaming de conteúdos multimídia (de apresentações de slides a serviços como Netflix) ou servir para tarefas rápidas ou urgentes de produtividade, navegação e comunicação. Por conta do processador envolvido, é possível que um desktop remoto e até editores de conteúdo, como o pacote Office, sejam disponibilizados.

Custando US$ 150 (cerca de R$ 400), o modelo com Windows deve ser lançado ainda no primeiro semestre de 2015. Uma versão com Linux, muito provavelmente com especificações técnicas diferentes e um preço reduzido, deve ser anunciada oficialmente em breve.

Atualizado

A Intel anunciou recentemente que, de fato, vai disponibilizar uma versão do Compute Stick com o sistema Ubuntu. A configuração de hardware é semelhante (com o mesmo processador e chip de rede), exceto pelo fato de que a versão com Linux tem apenas 1 GB de memória RAM e 8 GB disponíveis para armazenamento (mas há espaço para cartão micro SD, caso você queira guardar mais arquivos).

O preço do dispositivo com o Pinguim é convidativo: apenas 89 dólares! E agora? Vale o investimento no computador de bolso da Intel?