Criado pelo norte-americano Kevin Systrom e pelo brasileiro Mike Krieger, o Instagram, em pouquíssimo tempo, se revelou uma rede social especial e cheia de oportunidades. Enquanto os fundadores do portal conseguiram despertar o interesse do Facebook e embolsar US$ 1 bilhão (atualmente, cerca de R$ 4,1 bilhões), por exemplo, os usuários encontraram uma plataforma rica para a publicação de fotos. No entanto, sabe quem anda realmente lucrando com o serviço? As celebridades e subcelebridades.

Antes restritos a ocorrências em filmes, seriado e até mesmo novelas, o chamado marketing indireto – ou, na linguagem dos marqueteiros, “product placement” – foi adotado amplamente nas redes sociais, fazendo com que produtos sejam anunciados de forma discreta por famosos de outras mídias ou internautas populares. Não é como se a prática fosse exatamente nova na web para quem acompanha o TecMundo, mas é algo que, hoje em dia, vem tomando uma proporção consideravelmente grande.

Daily essentials @vitafede @jaxcocoau #solidgold

Uma foto publicada por Cara Delevingne (@caradelevingne) em

Embora casos como o da atriz falecida que fez “merchan” do iPhone 6 e o da modelo que revelou os sacrifícios para montar sua imagem na rede mostrem um pouco do lado obscuro e polêmico desse tipo de divulgação, a notícia sobre os artistas brasileiros que fazem um pé de meia com as postagens patrocinada dá uma ideia sobre as possibilidades de se fazer grana com isso. Lá fora, porém, a coisa tem raízes bem mais profundas, com cachês, agradinhos, pagamentos e contratos do estilo chegando a valores impressionantes.

Além do preço alto da publicidade no mercado internacional, o que vem chamando atenção é a forma que serviços como o Instagram permitem maquiar ainda mais a exposição de produtos, tornando o processo menos agressivo que o convencional. Uma selfie postada por uma atriz na qual uma pasta de dentes clareadora aparece de fundo, logo após uma foto da mesma pessoa dizendo que está se preparando para dormir, por exemplo, é bem mais sutil e faz o item parecer parte da vida dela.

Artifício lucrativo

Isso vem causando controvérsia, já que, em grande parte dos casos, não fica claro para os seguidores que se trata de uma ação de marketing indireto – e que a celebridade foi devidamente paga para participar disso e influenciar seus fãs. Fica parecendo que, se você utilizar o mesmo suplemento de vitaminas que, digamos, o saradão Zac Efron usa em seu dia a dia – mesmo que isso não seja verdade –, vai obter os mesmos resultados físicos e um corpo similar ao do ator.

Independentemente disso, o fato é que, hoje, esse é um mercado gigantesco. O quão grande? Bem, para descobrir isso, o site Jezebel – especializado em notícias sobre artistas – recorreu a uma fonte anônima que sondou as personalidades ou os assessores responsáveis pelos negócios. A pessoa descobriu que tudo depende do número de seguidores, da influência e da capacidade da celebridade em fazer publicações de forma natural.

Em geral, o serviço elaborado por agências e marcas acaba caindo na mão de famosos mais “acessíveis”, que sustentam uma fama obtida já há algum tempo – graças a trabalhos antigos – ou que são amigos de figuras mais expoentes da sociedade. Além de revelar que os preços para a prática catapultaram quase cinco vezes em relação ao que era cobrado há pouco mais de um ano, o levantamento descobriu que pacotes prontos de divulgação também fazem parte dos serviços oferecidos pelos “instagramers” profissionais.

Confira abaixo uma lista com alguns dos nomes pesquisados pelo portal e quais são as taxas e alcance teórico de público deles:

1. Scott Disick

Instagram: 13,3 milhões de seguidores. Cobra US$ 15 mil (R$ 62,3 mil) a US$ 20 mil (R$ 83,1 mil) pela divulgação.

I love gold and I like gold face masks even better. love my @shinemasks

Uma foto publicada por Scott Disick (@letthelordbewithyou) em

Marido de Kourtney Kardashian, uma das herdeiras de uma das famílias mais populares e polêmicas dos EUA, Scott Disick cobra caro por seus serviços. Uma peculiaridade? O rapaz costuma apagar seus “merchans” depois de um tempo – não deixando que a ação seja eternizada na web.

2. Stephanie Pratt

Instagram: 675 mil seguidores. Cobra US$ 7 mil (R$ 29 mil) pela divulgação.

7 months and im still loving it and seeing results! @mrblancteeth order on mrblanc.com #Spon #obsessed

Uma foto publicada por Stephanie Pratt (@officialstephpratt) em

Participante do reality “The Hills”, Stephanie Pratt usa suas viagens ao Reino Unido e a beleza natural para agregar valor a uma série de itens que figuram nas fotografias postadas em seu Instagram.

3. Blac Chyna

Instagram: 4,5 milhões de seguidores. Cobra US$ 2 mil (R$ 8,3 mil) por uma semana de divulgação, US$ 2,5 mil (R$ 10,4 mil) por duas semanas e US$ 3 mil (R$ 12,4 mil) por três semanas – com postagens em vídeo exigindo um adicional de US$ 500 (R$ 2 mil).

Ex-stripper, modelo, musa de rappers e empresária nas horas vagas, Blac Chyna tem esquemas de assinatura para interessados e faz publicidade até de seus produtos da linha de cosméticos no perfil da rede social.

4. Lisa Rinna

Instagram: 403 mil seguidores. Cobra US$ 3 mil (R$ 12,4 mil) pela divulgação, com um adicional de US$ 500 (R$ 2 mil) por posts em vídeo.

A atriz norte-americana que, além de ter participado de clássicos como “Melrose” e “Days of Our Lives”, se destacou recentemente pela participação no reality show “The Real Housewives of Beverly Hills”, mostra rotineiramente que não tem vergonha de anunciar todo tipo de produto em sua conta no Instagram.

5. Jenny McCarthy

Instagram: 672 mil seguidores. Cobra US$ 3,5 mil (R$ 12,4 mil) pela divulgação, com um adicional de US$ 600 (R$ 2,5 mil) por posts em vídeo.

If I go incognito do u think she'll notice if I steal her @zantrex3 #SkinnyStix? ??

Uma foto publicada por Jenny McCarthy (@jennymccarthy) em

Participar de uma temporada do programa “The View”, virar apresentadora e namorar o irmão de Mark Wahlberg parecem ser motivos suficientes para que Jenny McCarthy se mantenha sob os holofotes – e ganhe um dinheiro no processo.

Você acha que é justo que haja uma divulgação velada de produtos nas redes sociais? Comente no Fórum do TecMundo!