Não é segredo para ninguém que o Instagram é uma ferramenta poderosa na hora de divulgar produtos, marcas e até personalidades da web. O problema é que, aparentemente, o Facebook percebeu que as pessoas estão usando a plataforma ostensivamente para a divulgação de serviços de outras empresas do segmento. O que a empresa de Mark Zuckerberg fez? Bloqueou a promoção de links para sistemas concorrentes, como Telegram e Snapchat.

Quem percebeu a regra aplicada recentemente no aplicativo de compartilhamento de fotos foi exatamente o fundador do Telegram, Pavel Durov, que foi ao Twitter para promover duras críticas à prática. De acordo com a postagem e as imagens que o russo postou no microblog, a medida vale tanto no Instagram quanto no WhatsApp, embora os redirecionamentos continuem funcionando para outros endereços, como sites pessoais, lojas e demais páginas na web – incluindo LinkedIn, YouTube, Periscope e até VK.

“Outro dos tentáculos do Facebook se fecha para a habilidade dos usuários em compartilhar o link para seu perfil no Telegram”, escreveu Durov, complementando a mensagem com a hashtag #hipocrisia. Mesmo que inicialmente o caso pudesse parecer isolado, bastou pouco tempo para que a história fosse confirmada por um representante do próprio Instagram. O profissional falou com o site TechCrunch e explicou que houve uma decisão por excluir links do tipo “me adicione”, já que esse não seria o objetivo da plataforma.

Ao que parece, a mudança está se espalhando aos poucos entre os milhões de usuários da rede, mas a tendência é que todos os atalhos que apontem para perfis nos serviços concorrentes parem de funcionar em pouco tempo. A notícia da restrição pode ser um banho de água fria para veteranos da rede social, uma vez que muita gente esperava que o Instagram estivesse próximo de habilitar endereços clicáveis no texto das publicações e nos comentários. Será que realmente nunca veremos uma atualização do serviço nessa direção?

Atualização: 07/03/2015 às 14h30

A assessoria de imprensa do Instagram entrou em contato com a equipe do TecMundo para dar maiores informações sobre o assunto. De acordo com a empresa, os únicos links que estão sendo removidos da plataforma são aqueles que levam o internauta a seguir ou adicionar um perfil em um serviço externo (como o Snapchat). "Removemos o recurso que permitia incluir deep links de 'add me' nos perfis do Instagram. Tratam-se de casos raros que vão contra o modo como funciona a nossa plataforma. Outros tipos de links e deep links continuam sendo permitidos", explicou a companhia.

Você aprova a nova medida de bloqueio de links do Instagram? Comente no Fórum do TecMundo!