As câmeras dos celulares evoluíram muito nos últimos anos, passando a gravar vídeos com mais qualidade. Elas podem, além de simplesmente documentar as cenas, criar pequenos filmes. Porém, mesmo assim, a maior parte do material que é gravado utilizando uma câmera de um telefone móvel ainda fica devendo — e muito! — em qualidade para um vídeo de uma dSLR ou mesmo de uma máquina digital compacta.

Qual é o problema dessas minúsculas câmeras, que faz com que elas não consigam se mostrar realmente boas, mesmo com as inúmeras melhorias que já receberam? O ponto negativo pode estar justamente em quão pequenos esses equipamentos são, já que isso significa também um sensor muito menor do que o ideal.

A dúvida que fica é esta: seria possível gravar filmes de qualidade utilizando apenas o celular como ferramenta de captura? A resposta é sim — e não. Não é possível simular a qualidade de um equipamento maior, porém com os truques certos você consegue vídeos com a qualidade máxima possível da câmera embutida no seu telefone.

Aprenda a aproveitar o máximo que a sua câmera pode oferecer! (Fonte da imagem: Divulgação/Apple)

Entenda as limitações da câmera do celular

Antes de aprender alguns truques para deixas as suas filmagens mais bonitas, é preciso entender o que causa a perda de qualidade das câmeras de dispositivos portáteis. Isso pode parecer muito técnico a princípio, mas lembre-se: somente entendendo as suas limitações é que você pode descobrir como superá-las.

Neste artigo, nós falamos sobre os mitos envolvendo a quantidade de megapixels de uma câmera. No caso da gravação de vídeos, o mito é semelhante. Algumas câmeras de celulares alegam que são capazes de fazer filmes em HD ou até Full HD, e realmente o são, mas existem algumas ressalvas aqui.

Essa medida é semelhante aos megapixels na fotografia. Filmar em 720p (HD) ou 1080p (Full HD) não significa que o resultado vai ter tanta qualidade quanto os mesmos 720p ou 1080p de uma câmera dSLR, só vai fazer com que o tamanho do vídeo seja bem maior, podendo, por exemplo, ser visto em uma televisão FullHD sem ficar pixelado.

O sensor, sempre ele!

É o sensor quem mais determina o quão boa uma câmera é. Em uma regra geral, quanto maior ele for, mais luz ele é capaz de absorver sem precisar abrir mão da qualidade da imagem. Como é de se esperar, o sensor de uma câmera de celular é minúsculo e, por isso, o resultado tende a decepcionar, principalmente na captura das cores e no contraste.

O sensor de uma câmera tão pequena não pode se comparar a uma dSLR (Fonte da imagem: Reprodução/iFixit)

Outro fator importante são as lentes: em um celular, elas não conseguem superar a qualidade de um conjunto ótico intercambiável presente nas dSLRs. Algumas fabricantes apostam em lentes externas, que realmente ajudam um pouco e podem ser uma aposta para tentar contornar este problema. Quanto ao sensor, não existe jeito eficiente de melhorá-lo, portanto é preciso saber lidar com as suas limitações.

Prepare bem o ambiente

Se você quer filmar um curta-metragem, por exemplo, usando um celular, é bom saber que isso pode ser um pouco mais complicado do que parece. Isso acontece pois desta forma é preciso driblar os problemas apresentados pela sua câmera, se você quiser um vídeo de ótima qualidade.

A pré-produção de um filme feito com o celular precisa ser mais detalhada. A escolha do local e dos equipamentos de apoio precisa ser feita pensando sempre na câmera que você tem, já que será preciso contornar algumas falhas dela para conseguir resultados excelentes.

Iluminação adequada

Por exemplo, a iluminação da cena precisa ser totalmente pensada de forma que atenda ao que esse tipo de equipamento não consegue arrumar. Uma câmera profissional consegue driblar relativamente bem a diferença de temperatura das luzes ambientes, além de ser capaz de fazer boas imagens em locais mais escuros.

A câmera do celular não faz isso, então você precisa resolver este problema antes de começar a gravar. Ilumine bem toda a cena, com lâmpadas da mesma temperatura, para que o balanço de branco não fique errado. Isso pode distorcer principalmente a cor da pele das pessoas, deixando-as avermelhadas. Você não sabe o que é temperatura de luz? Este artigo pode explicar um pouco sobre o assunto.

Use luzes suaves para que o branco não estoure facilmente (Fonte da imagem: Reprodução/Simon Hrvojevic)

Apesar de ser muito importante iluminar bem, cuidado para não iluminar demais! Principalmente se você estiver usando uma fonte de luz dura e fria (veja aqui o que isso significa), as chances de que o celular estoure o branco, no vídeo, são imensas. Se puder, opte por luzes suaves e com temperaturas um pouco mais quentes.

Para vídeos mais caseiros, nos quais não existe uma produção tão apurada, observe sempre as fontes de luz principais, como o sol, uma luminária ou mesmo uma parede branca, e tente não enquadrá-las diretamente na cena. Lembre-se: a luz deve estar posicionada de trás da câmera para frente, e não em direção a ela.

Apoio firme

As câmeras de celular possuem um modelo diferente de captura de imagem, que não facilita para a pessoa que está segurando o equipamento. Ao invés de captar toda a cena de uma só vez, ela “lê” a paisagem em linhas, de um lado para o outro. Isso faz com que, se você mexer o telefone muito rápido, ou mesmo se você filmar algo que estiver se movendo bruscamente, o resultado é um borrão ou um objeto distorcido.

Faça o teste para comprovar, não é preciso nem mexer o celular de maneira muito brusca, basta movê-lo de um lado para o outro e já é possível ver o atraso na formação das imagens. Para que isso não afete o seu filme, é preciso ter muito mais cuidado com os movimentos e apoiar bem o aparelho.

Existem adaptadores que podem ser colocados em qualquer telefone (Fonte da imagem: Reprodução/AnandTech)

Tente mexer o mínimo possível o celular — é melhor fazer vários cortes do que se aventurar em planos-sequência muito elaborados — e peça para que as pessoas que aparecem no vídeo movam-se de maneira mais suave também. Se for preciso, use um apoio para firmar o seu gadget: vários aparelhos possuem cases próprias com encaixes especiais para tripés.

Utilize aplicativos para ajudar na captura

Existem vários aplicativos, tanto para o Android quanto para o iOS, que possuem ferramentas especiais para a captura, edição e distribuição de vídeos. Com um pouco de planejamento, é possível fazer tudo isso sem a ajuda de um computador!

Muitas pessoas são contra a aplicação de efeitos diretamente na captura, preferindo utilizar esses artifícios na pós-produção. Isso até faz sentido, mas apenas no modo tradicional de se criar um vídeo. Se você for tentar fazer tudo usando o celular, é preciso facilitar ao máximo a edição, então usar um filtro não é má ideia.

Se você estiver usando um telefone com Android, pode usar o app VideoCam Illusion para capturar as imagens já com o efeito desejado. Para editar e postar, uma das opções é o VidTrim, que é gratuito e pode criar edições mais simples. Uma dica é gravar todas as cenas divididas e usar o editor apenas para juntá-las.

Para quem usa um iPhone, uma das melhores opções para capturar imagens com efeitos é o 8mm Vintage Camera, que possui filtros de ótima qualidade. Para a edição e compartilhamento você pode utilizar o Klip Video, que junta as cenas e publica na internet.