Diretor da Google no Brasil tem prisão decretada

Juiz eleitoral da Paraíba acusa executivo de crime de desobediência por não retirar vídeo que ofende candidato a prefeito de Campina Grande.
  • Visualizações73.808 visualizações
Por Fernando Daquino em 15 de Setembro de 2012

Edmundo Luiz Pinto Balthazar, diretor geral da Google no Brasil, teve a sua prisão decretada pelo juiz eleitoral de Campina Grande, na Paraíba, Ruy Jander. De acordo com a Agência Estado, o executivo de uma das maiores empresas de tecnologia do mundo foi acusado de crime de desobediência.

A sentença foi executada porque Balthazar teria ignorado a determinação de retirada de um vídeo do YouTube no qual o candidato a prefeito, e líder nas pesquisas, de Campina Grande, Romero Rodrigues do PSDB, é ofendido.

Segundo a publicação, o site humorístico "Humor Paraíba" é o responsável pelo vídeo em que o político é chamado de burro em uma montagem com o clássico bordão do personagem Chaves: “Ai, que burro! Dá zero pra ele”. Confira a filmagem que causou tanta polêmica acima.

O motivo da ofensa é que Romero Rodrigues erra o nome do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), trocando “desenvolvimento” por “desempenho”, ao apresentar as suas propostas de governo relacionadas com a educação.

Diretor da Google no Brasil tem prisão decretada (Fonte da imagem: Reprodução/YouTube)

O magistrado afirma que o diretor da Google foi notificado e pôde se defender, o qual teria solicitado que o juiz reconsiderasse a ordem de prisão – o que foi negado.  "Conforme informação da parte atingida pela propaganda ridicularizante, há de se adotar as medidas necessárias para que o poderoso provedor de internet respeite a legislação brasileira e as autoridades constituídas", comentou Jander.

A Google contra-ataca

Em resposta oficial, a empresa se defende: "O Google vem a público esclarecer que vai recorrer da decisão da Justiça Eleitoral do estado da Paraíba por entender que ela viola garantias fundamentais, tais quais a ampla defesa, o devido processo legal e a liberdade de expressão constitucionalmente assegurada a cada cidadão.

O Google acredita que os eleitores têm direito a fazer uso da Internet para livremente manifestar suas opiniões a respeito de candidatos a cargos políticos, como forma de pleno exercício da Democracia, especialmente em períodos eleitorais.

O Google não é o responsável pelo conteúdo publicado na Internet, mas oferece uma plataforma tecnológica sobre a qual milhões de pessoas criam e compartilham seus próprios conteúdos".

Fonte: Agência Estado



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!