O trabalho do Google Search é mais difícil do que você imagina. Além de exibir resultados de pesquisas, o buscador recebe denúncias constantes para apagar links contendo pirataria ou infração de direitos autorais, como você vê na imagem acima. E não é pouca coisa: em um relatório de transparência atualizado recentemente, o serviço conta que precisa tirar, em média, 1 milhão de páginas por semana do acervo.

Só em julho de 2014, 30,14 milhões de solicitações de remoção foram enviadas. Isso significa que, a cada 8 milisegundos, um novo pedido é feito. Ao todo, são mais de 4 mil detentores de direitos autorais que buscam dificultar o acesso à pirataria pelo buscador e mais de 47 mil domínios que estão ficando cada vez mais escassos no Google.

Desde o final de 2012, houve um aumento recente bastante considerável no número de pedidos, o que significa que o combate à pirataria, ao menos em alguns sites, está com a corda toda. Sites como o 4shared e o Rapidgator, famosos na hospedagem de arquivos, são alguns dos líderes nas solicitações de remoção.

Será que funciona?

A alta quantidade de pedidos resulta em várias reclamações por retiradas de páginas do Google por erros, mas a empresa afirma que mantém os dados das solicitações e realiza eventuais correções, se necessário. Há quem afirme também que a medida é inútil.

"Cada dia produz mais resultados e não há fim em vista. Estamos usando um balde para lidar com um oceano de downloads ilegais", disse o vice-presidente antipirataria da RIAA (Recording Industry Association of America), Brad Buckles. O órgão que representa as gravadoras nos Estados Unidos está na linha de frente do combate contra a violação de direitos autorais.

Você pode acessar os dados de solicitação de remoção de pirataria do Google por este link.