Como de costume, a Samsung conseguiu chamar a atenção do consumidor com seus novos aparelhos top de linha: o Galaxy S7 e o S7 Edge.

Os dois modelos foram anunciados há pouco mais de 24 horas e o lançamento oficial ficou para o começo de março, mas o site russo Hi-tech já colocou as mãos no Galaxy S7 e não perdeu tempo, aproveitando para abrir a unidade e verificar todo o hardware.

A primeira constatação do site russo diz respeito ao sistema de refrigeração do Galaxy S7. O Samsung Galaxy S7 traz um dissipador que conta com heatpipes, os quais visam esfriar o novo chip Exynos 8890, mas talvez só essa artimanha não seja suficiente para dar conta do recado.

Aparentemente, quando colocado para rodar jogos muito pesados, o chip gráfico — e também a unidade central de processamento — pode esquentar acima do normal, o que forçou a fabricante a apostar em um sistema de refrigeração a líquido (water cooling).

Outras informações pertinentes nessa primeira inspeção dizem respeito ao sistema de vedação e, consequentemente, à proteção IP 68 (contra água e poeira). A tampa é bem ligada à carcaça de metal, mas a cola usada aqui pode ressacar facilmente quando exposta a altas temperaturas, algo bem comum no verão.

Apesar disso, o site russo verificou que o Galaxy S7 é bem fácil de desmontar, sem grandes possibilidades de causar danos à tela, ainda que seja sempre recomendável levar até uma assistência para casos emergenciais. O botão de energia é muito sólido e certamente funcionará por um longo período, o que mostra o comprometimento da Samsung com a qualidade de construção do produto.

É importante ressaltar que essas são apenas impressões inicias do Samsung Galaxy S7 e mais informações devem ser liberadas por outros sites em novas análises. Fique ligado aqui no TecMundo para mais informações sobre os produtos da Samsung.