A Campus Party 2016 teve sua largada dada oficialmente apenas às 20h desta terça-feira (26), com o próprio idealizador da feira, Paco Ragageles, dando as boas-vinda aos campuseiros. A equipe do TecMundo, porém, já estava acordada e no local do evento desde cedo para conferir em primeira mão as novidades do evento. Além da coletiva de abertura deste ano – repleta de informações –, fomos ao estande da Ford para saber o que a empresa anda planejando para os brasileiros aficionados por tecnologia e, claro, para os amantes de automóveis em geral.

O bate-papo se iniciou por volta das 10h da manhã de hoje no palco Inovação – um dos espaços que deve abrigar palestras e workshops ao longo do encontro – e foi encabeçado por Steven Armstrong, presidente da Ford América do Sul. O britânico abriu a conversa falando exatamente sobre a postura da montadora a respeito de seus negócios. Para ele, a Ford é “mais do que uma companhia de carros, é uma companhia de tecnologia e de tecnologias importantes para o consumidor”.

Estamos muito satisfeitos em ser, pelo quarto ano consecutivo, a única fabricante de automóveis a participar da Campus Party

O executivo revelou, por exemplo, que a marca investe cada vez mais em pesquisa e desenvolvimento, aumentando exponencialmente seu time de engenheiros em Palo Alto, na Califórnia, e incorporando elementos importantes para o cenário atual, como Big Data e Internet das Coisas. Outra maneira de se manter em sintonia com esse mercado? Continuar alinhada com os maiores eventos do setor, marcando presença na CES, Computex, MWC e também na CPBR. “Estamos muito satisfeitos em ser, pelo quarto ano consecutivo, a única fabricante de automóveis a participar da Campus Party”, provocou.

Temas importantes

Essa ligação próxima com a tecnologia, segundo Armstrong, vem do fato de a empresa estar voltada com bastante afinco para soluções de mobilidade, tendo como exemplos atuais as parcerias com a Amazon e a DJI, com a primeira tornando o carro um dispositivo IoT, e a segunda auxiliando – com drones – no socorro a condutores em caso de acidentes. No entanto, o que mais simboliza esse aspecto da companhia, para ele, é a existência do seu sistema SYNC, que dá suporte a uma quantidade grande de recursos e habilita a tão almejada conectividade nos automóveis.

O executivo comentou que, na visão da Ford, a conectividade é um dos pilares da mobilidade, possibilitando tanto que a montadora teste novas formas de auxiliar nesse tema – realizando experimentos por todo o mundo – quanto conte com a ajuda de entusiastas e desenvolvedores na forma de apps para a plataforma. É o caso da Hackathon promovida na Campus Party 2015, que gerou dezenas de projetos de qualidade, com alguns deles sendo levados adiante, para além dos dias reservados ao evento.

Como tudo que quer se manter atual nesse mundo de tecnologia não pode ficar parado ou ser imutável, não é surpresa que um update robusto chegue também ao sistema da Ford, não é? Assim, o presidente sul-americano da companhia aproveitou a oportunidade e a temática da feira para anunciar que o SYNC 3 deve chegar ao Brasil ainda este ano, trazendo uma série de melhorias à edição atual do software. Para explicar as mudanças, Armstrong chamou ao palco alguns de seus colegas envolvidos de forma mais próxima à empreitada.

Uma nova versão no horizonte

Assim, foi a vez de Casper Hohage, diretor de desenvolvimento de produto Ford na América do Sul, subir ao palco para discorrer sobre o produto. “As mudanças não acontecem em um estouro, elas vêm de pouco a pouco. Por isso, o SYNC é a melhor solução do mercado”, explicou o executivo ao falar sobre como a plataforma vem sendo repensada desde que foi inaugurada e que a versão 3 deve levar tudo a um novo patamar. Lançado em 2007 – e chegando ao Brasil em 2008 –, o sistema já conta com 15 milhões de usuários, com esse número podendo saltar para 40 milhões até 2020.

O “pulo do gato”, por assim dizer, dessa atualização, de acordo com Hohage, é o fato de ela fazer a interface se assemelhar muito mais a de um smartphone ou tablet – se tornando mais amigável para o consumidor final. Tendo como base esse pensamento de facilitar a vida do cliente, também cabe ao time brasileiro adaptar os recursos ao público nacional. Gustavo Schiavotelo, engenheiro-chefe da Ford na América do Sul, revelou que esse é exatamente o trabalho da equipe instalada no Brasil.

Ele comentou que, como o SYNC é um produto global, as tecnologias chegam de uma vez para todos, mas, ao mesmo tempo, nem todas as funções implementadas são interessantes para cada público. Desse modo, o time local precisa ralar bastante para filtrar as ferramentas mais importantes, remodelar o que for preciso e até desenvolver soluções próprias. No caso brasileiro, é preciso adicionar mapas de todo o território, fazer a integração com aplicativos destas bandas e criar todo o sistema de reconhecimento de voz em português brasileiro.

Entre os aperfeiçoamentos adicionados pelo SYNC 3, Schivotelo destaca o suporte aprimorado aos recursos Android Auto e Apple CarPlay, atualização dos apps nativos da plataforma, navegação dos mapas em 2D e 3D e uma busca inteligente semelhante à que acontece em pesquisas no Google – no qual a engine tenta adivinhar ou sugerir termos que finalizem o comando. Outras melhorias incluem uma interface de ligação mais descomplicada e um aplicativo de áudio que engloba todas as fontes e tocadores instalados/plugados.

É preciso aguardar para testar

Em conversa com Armstrong após a apresentação, questionamos se haveria alguma agenda mais específica para a liberação do SYNC 3 por aqui, mas o executivo escolheu manter a data sob mistério, dizendo que a atualização deve vir mesmo mais para o fim do ano e que nem os modelos que vão receber o update foram definidos ainda. Em relação ao motivo de outras fabricantes não participarem desse tipo de atividade e se teria a ver com o fato de muitas não terem um produto nos mesmos moldes, o britânico preferiu não arriscar um palpite – ou ser deselegante.

“Como integrante da Ford, gosto de acreditar que temos a melhor solução. Não posso falar pelos outros, só posso reafirmar o compromisso que temos com o mercado brasileiro e agradecer à parceria com a Campus Party Brasil”, finalizou. Quem quiser conferir mais cedo se o sistema está realmente bem encaminhado pode passar no estande da Ford nesta nona edição da CPBR, pois o local abriga, além de um Focus Fastback 2016, alguns terminais simulando um cockpit com a plataforma já atualizada. Continue ligado no TecMundo para mais notícias a respeito da Campus Party Brasil 2016.

Você já deu uma voltinha em um carro da Ford com o SYNC? Comente no Fórum do TecMundo!