Se tem um fato recente difícil de negar é o de que “Star Wars: O Despertar da Força” é um sucesso quase absoluto de público e crítica. Depois de ir ao cinema múltiplas vezes para curtir a nova aventura da franquia, muita gente já estava juntando moedinhas para comprar o Blu-ray do longa-metragem – agendado para o dia 5 de abril. O hype em torno do filme é tanto que o vazamento do material digital dele na última terça-feira (22) gerou nada menos que 250 mil downloads da cópia pirata em cerca de 12 horas.

Depois de arrecadar mais de US$ 2 bilhões (cerca de R$ 7,38 bilhões) em sua campanha nas telonas de todo o mundo, o sétimo capítulo da saga dos jedis já esperava lucrar um excedente considerável nas vendas em disco – contando Blu-ray e DVD. Com a performance do arquivo de alta qualidade do longa-metragem nos sites de torrent, no entanto, a Disney pode ter que reavaliar as contas relativas ao projeto.

Visual da edição especial do Blu-ray oficial.

Claro que a gigante do entretenimento já andou arregaçando as mangas para minimizar os prejuízos, distribuindo pedidos para retirada de conteúdo com copyright e utilizando outros artifícios para impedir o alastramento dessa versão do seu produto. Assim como acontece com outros vazamentos na web, essas medidas não devem impedir que qualquer usuário mais dedicado – e sem medo de retaliações – encontre facilmente o pacote pronto para baixar.

Os responsáveis por essa extração de alta qualidade de “O Despertar da Força” foram os membros do grupo REPLiCA, que, aparentemente, tiveram acesso antecipado a uma cópia real do Blu-ray do filme. Eles chegaram a postar uma foto do disco original com as gravações da equipe para provar que o material era legítimo e que não se tratava de mais uma versão filmada com o celular em uma sala de cinema – como tantas outras que circulam na internet há meses.

Foto do disco supostamente em propriedade do grupo REPLiCA.

Alguns internautas andam questionando que se a Disney e a Lucasfilm tivessem liberado as vendas digitais do novo Star Wars mais cedo – como a Fox fez esta semana com “O Regresso”, que só ganha versão física em 19 de abril –, esse quadro poderia ter sido bastante minimizado. Quer dizer, é claro que o longa-metragem ainda vai se apoiar na empolgação de fãs novos e velhos da franquia para encher ainda mais os cofres de sua dona, mas talvez uma parcela deles economize a grana do disco para garantir os ingressos do Episódio VIII.

Quanta vezes você já assistiu ao novo Star Wars? Comente no Fórum do TecMundo!