Que as produtoras dependem imensamente de efeitos visuais no cinema, não é novidade para ninguém. É comum que a pós-produção seja utilizada até em coisas banais durante as gravações, mas muitas vezes ela é de altíssima qualidade e consegue enganar os seus olhos em cenas que você nem imagina. Contudo, por conta disso, vemos uma diferença enorme entre as gravações e a obra final.

Neste mini, vamos listar os 17 filmes em que a computação gráfica foi usada com primor e criou efeitos magníficos, sempre mostrando o antes e o depois e como isso impactou as cenas do longa-metragem. Certamente, há muitas obras de qualidade que fizeram bom uso da tecnologia, e não há como colocar todas aqui. Se você achar que deixamos passar algum importante, não deixe de comentar. Confira a lista completa:

 1 – O Grande Gatsby

Este longa-metragem pode não ter sido o que deu o Oscar para Leonardo DiCaprio, mas ele certamente teve uma boa direção de fotografia. Afinal, era impossível recriar uma cidade da década de 20 do zero, então a equipe de efeitos visuais usou e abusou da pós-produção para caprichar na ambientação. Em algumas partes da imagem abaixo, é difícil distinguir o que é ou não CG sem comparar com a foto real da filmagem.

O Grande Gatsby

2 – O Regresso

Agora sim vamos falar do filme que deu o Oscar para Leonardo DiCaprio. “O Regresso” teve cenas impressionantes, como a avalanche filmada no último ato, que, por mais incrível que pareça, não utilizou nenhum tipo de CG. Contudo, a cena que ganhou destaque e tirou reações de espanto dos espectadores foi, certamente, o ataque do urso-pardo.

Obviamente, um animal de verdade não foi utilizado durante as filmagens, e a equipe teve que se virar para criar a veracidade do ataque selvagem, que incluiu um ator “se vestir” de urso para ajudar na gravação. Na imagem abaixo, você pode conferir a diferença entre a qualidade final e a fotografia sem pós-produção. 

3 – A Origem

Ok, nós realmente gostamos do trabalho do Leonardo DiCaprio, mas “A Origem” entrou na lista pela qualidade dos efeitos visuais mesmo. Lembra-se da parte em que as ruas “continuam” pela parede no mundo dos sonhos, e os personagens caminham em um ambiente psicodélico? Por mais incrível que pareça, a cena é fruto de pós-produção e construção de ferramentas para auxiliar nas filmagens.

4 – Gravidade

O longa-metragem “Gravidade” foi um grande vencedor de Oscars em 2014, incluindo Melhores Efeitos Visuais e Melhor Fotografia. Sem sombra de dúvidas, o filme não foi gravado no espaço e abusou dos efeitos especiais. Porém, sabia que há muito mais pós-produção do que você consegue imaginar?

Só para você ter noção, nem mesmo os trajes espaciais dos personagens são de verdade. Durante a gravação, tanto Sandra Bullock quanto George Clooney vestiram apenas parte dos acessórios. O resto foi inteiramente feito em CG.

5 – O Hobbit

A segunda trilogia de Peter Jackson inspirada na obra de J. R. R. Tolkien certamente utilizou muitos efeitos especiais de peso, da mesma forma que vimos em “O Senhor dos Anéis”. Apesar de nem todas as cenas de pós-produção terem uma qualidade alta (como já apontamos nesta lista aqui), há algumas coisas que podem surpreendê-lo.

Durante os primeiros filmes, lá na década de 2000, o diretor recriou a toca de Bilbo com diversos degraus e abusou do jogo de câmeras para que os hobbits parecessem pequenos. Contudo, em “O Hobbit”, as coisas foram mais simples: foi tudo feito com efeitos especiais mesmo, sem nada prático.

6 – Guardiões da Galáxia

Este icônico filme da Marvel colocou em destaque uma equipe um tanto... diferente. Certamente, Groot e Rocket Raccoon são feitos com computação gráfica, mas há um truque aqui: em algumas partes do longa-metragem, a equipe colocou um ator vestido de chroma key para ajudar na pós-produção.

O resultado é o que você vê abaixo: Dave Batista, que interpreta Drax, acaricia uma pessoa vestida com um traje especial, algo que é traduzido no filme como o guaxinim encrenqueiro. Meio bizarro, não?

"Groot" segurando um guarda pelo pescoço

7 – Batman – Cavaleiro das Trevas

O segundo filme do Batman da trilogia de Christopher Nolan teve uma excelente fotografia, além de personagens icônicos e um enredo que agradou à crítica. Entre todas as cenas, uma que é bem bacana de ver o antes e o depois é a primeira vez que o Duas-Caras aparece, antes chamado de Harvey Dent e antigo promotor de Gotham.

8 – O Segredo dos Seus Olhos

Este longa-metragem argentino é o representante latino-americano da lista. Apesar de ser um filme de investigação e não ter muita ação, há uma cena em particular que é muito elogiada. Durante uma partida de futebol, o oficial de justiça Benjamin Esposito está procurando um suspeito, mas a câmera aérea passeia pelo estádio, que é quase inteiro feito em computação gráfica.

9 – Capitão América: O Primeiro Vingador

Por se tratar de um filme de herói, é comum que grande parte das cenas tenham abusado de computação gráfica, como no final do longa quando o Capitão América pula em um trem em movimento através de uma tirolesa – nada do cenário é de verdade, tudo é digital e fruto de efeitos especiais.

Entretanto, o que chama atenção é a qualidade da pós-produção em tornar Chris Evans (Capitão América) um aspirante a militar baixinho e extremamente magro. Dieta, jogo de câmeras, ilusão? Não, é puro efeito visual, que, apesar de ser relativamente simples, foi extremamente bem-feito e resultou em algo bem realista. 

10 – Planeta dos Macacos

Em “Planeta dos Macacos: A Origem”, vimos o ator Andy Serkis – que já interpretou Gollum e King Kong digital nas telonas – encenar o chimpanzé César, trazendo uma performance incrível ao longa. Em “Planeta dos Macacos: O Confronto”, o elenco foi expandido e vimos diversos nomes de peso, como Judy Greer, dar vida a outros primatas em computação gráfica. 

11 – Mad Max: Estrada da Fúria

Já noticiamos aqui no TecMundo a qualidade absurda dos efeitos especiais de “Mad Max: Estrada da Fúria”, que, apesar de usar computação gráfica para montar as cenas, não dependem inteiramente delas para compor a obra final. Nas imagens abaixo, você confere as diferenças entre as cenas com e sem pós-produção. 

12 – Homem de Aço

O Superman destruiu muitos prédios de Metrópolis durante o “Homem de Aço”, e todo mundo adorou os efeitos visuais de altíssima qualidade. Todavia, há várias fotos comparando o antes e o depois que retratam o quão importante a pós-produção foi para o filme. A armadura de Zod, por exemplo, nunca existiu, sendo feita inteiramente em computação gráfica (igual ao que aconteceu em “Iron Man”), assim como a capa do super-herói. 

13 – Alice no País das Maravilhas

A visão de Tim Burton neste clássico da literatura foi bem aceita pelo público, que contou com um olhar ainda mais criativo dos já bizarros elementos de “Alice no País das Maravilhas”. Apesar de usar e abusar bastante da computação gráfica – a qualidade variou bastante –, é interessante ver que houve adaptações para gravar cenas em chroma key também.

Atores vestiram roupas especiais em Alice

14 – Star Wars: O Despertar da Força

Uma das franquias mais queridas do mundo voltou às telonas no ano passado, trazendo efeitos especiais de cair o queixo. Nas imagens abaixo, você pode conferir como os cenários de gravações foram alterados na obra final, por meio de bastante computação gráfica. 

15 – X-Men: Dias de um Futuro Esquecido

Neste longa-metragem dos mutantes da Marvel, muitas técnicas de computação gráfica foram utilizadas para chegar ao resultado final. De todas as cenas, a que mais ganha destaque é a de Mercúrio correndo em “câmera lenta”. Na realidade, o ator foi colocado contra um grande ventilador e um fundo de chroma key.

16 – Godzilla

O rei dos monstros voltou em um reboot americano em 2014 e conseguiu agradar razoavelmente os fãs que esperavam algo melhor que o filme de 1999. Certamente, o lagartão foi recriado em computação gráfica, e não com fantasias e animatrônicos, como no original. Encaixar a criatura no cenário urbano requisitou muito trabalho para mesclar cenas reais com CG, o que você pode ver abaixo. 

17 – As Tartarugas Ninja

Em 2014, as famosas Tartarugas Ninja voltaram às telonas pelas mãos de Michael Bay. A parte curiosa é que cada um dos quatro lutadores adolescentes foi interpretado por um ator de verdade, e isso influenciou diretamente a personalidade de cada herói. O resultado das filmagens com chroma key você confere abaixo.

Você conhece algum filme cujas cenas foram alteradas drasticamente pela computação gráfica? Comente no Fórum do TecMundo