Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ivanpah Solar)

O sol é uma fonte de energia alternativa que já vem sendo aproveitada há algum tempo, mas poucos projetos são tão eficientes e audaciosos quanto o da usina solar de Ivanpah.

A construção instalada na Califórnia (no Deserto de Mojave) tem capacidade total de 392 MW e é composta por três plantas, que juntas ocupam um espaço de 3.500 acres.

A usina que levou três anos para ser construída pretende substituir a fonte de energia de mais de 140 mil residências. Basicamente, o funcionamento da Ivanpah é todo baseado no uso de helióstatos e de turbinas movidas a vapor. Vamos conferir alguns detalhes e o modo de operação básico desta usina.

Principais características

  • Localização: Deserto de Mojave (64 km ao sudoeste de Las Vegas)
  • Espaço total ocupado: 14,2 km²
  • Custo de fabricação da usina: US$ 2,2 bilhões
  • Quantidade de painéis: 173.500
  • Capacidade máxima: 392 MW
  • Geração de energia anual: 1.079.232 MWh
  • Redução de CO2: 400.000 toneladas por ano
  • Casas beneficiadas: mais de 140 mil

Como funciona

  1. Softwares especiais controlam os painéis solares e modificam o posicionamento deles para que fiquem em um ângulo preciso que possibilite refletir a luz solar no topo da torre;
    Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ivanpah Solar)
  2. Acima da torre, há uma caldeira que aproveita o calor dos raios solares para esquentar a água e transformá-la em vapor;
    Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ivanpah Solar)
  3. O vapor gerado é direcionado para turbinas que vão gerar a energia;
  4. A energia é direcionada para a rede elétrica, sendo que qualquer excesso é armazenado em grandes tanques de reserva;
  5. A energia é distribuída para as residências;
  6. O processo descrito entre as etapas 1 até 5 se repete constantemente.

É curioso que mesmo sendo benéfica de diversas formas, de acordo com a publicação da revista How It Works, a construção da usina foi um bocado controversa, visto que ela “estragou” um ecossistema, no qual viviam mais de 200 tartarugas-do-deserto. Só por curiosidade, foi preciso investir US$ 55 mil para realocar cada bichinho.

Ampliar (Fonte da imagem: Divulgação/Ivanpah Solar)

Apesar do alto custo, o projeto é realmente inteligente e pode trazer benefícios a longo prazo para as pessoas e para o meio ambiente. Esperamos que mais usinas como essas sejam construídas nos Estados Unidos e, até mesmo, no Brasil.