(Fonte da imagem: Reprodução/Harambee Institute)

A norte-americana Zora Bell, de sete anos, é um exemplo para quem já está saindo do colégio ou da faculdade e, até agora, não sabe o que quer da vida nem conquistou algo significativo com os estudos. Recentemente, a menina se tornou a mais jovem desenvolvedora de games mobile, criando sozinha um aplicativo jogável.

Zora é estudante do primeiro ano do Harambee Institute of Science and Technology Charter School, e exibiu sua criação em uma exposição na Pensilvânia, em meio a trabalhos acadêmicos dos mais diversos níveis de conhecimento.

O jogo da menina foi desenvolvido na linguagem de programação Bootstrap, que envolve processos complexos, porém que trazem resultados mais rapidamente. Fora as aulas normais, ela ainda faz várias outras atividades extracurriculares promovidas pela escola – incluindo até lições de mandarim.

No início da história, especulações apontavam que Trace, o irmão mais velho de Zora, teria sido o verdadeiro autor por trás do projeto, já que ele está quase se formando na mesma instituição. Mas a jovem provou que tudo era mérito próprio ao explicar o processo de desenvolvimento do jogo com segurança e mostrar pleno domínio da linguagem durante a apresentação.