O mercado de drones vem crescendo a largos passos. Seja por hobby ou com algum emprego “sério”, esses objetos voadores estão ganhando o gosto do público e são cada vez mais diversos em seus modelos. Caso ainda houvesse alguma dúvida sobre o potencial comercial de drones com câmera que seguem o usuário, a empresa Lily Robotics revelou que seu mais novo produto rendeu nada menos que US$ 34 milhões (em torno de R$ 138 milhões) apenas na pré-venda de 60 mil unidades.

É claro que o valor não chega perto dos números demonstrados, por exemplo, no mercado de smartphones, que vendem muito mais em quantidade e arrecadam maior receita. Porém, levando em conta que a demanda por drones ainda engatinha e tem muito chão pela frente, os números impressionam.

Produto especial

O drone da Lily Robotics é capaz de seguir seu usuário a uma velocidade de 40 km/h utilizando um sistema que combina GPS e reconhecimento visual. Além disso, para facilitar o trabalho do dispositivo, o usuário deve carregar consigo um aparelho de rastreamento. A câmera voadora é muito popular na prática de esportes, produzindo imagens aéreas que só os drones conseguem fazer.

Mais impressionante ainda é o fato de essa categoria de gadget ainda ser muito recente e ter um público-alvo bastante restrito. Segundo as pesquisas da empresa, nenhum dos clientes que se dispuseram a responder já teve um drone antes. Ou seja, é uma tecnologia cara, mas que as pessoas estão arriscando adquirir para testar suas possibilidades.

Esse dinheiro todo não poderia vir em melhor hora. A Lily Robotics foi obrigada a atrasar o lançamento de seu dispositivo para o meio do ano – antes, o modelo sairia em fevereiro – para fazer uma série de acertos no hardware e no software do quadricóptero. Resta agora aguardar e ver ser o produto da empresa vai exceder as expectativas. Só então poderemos afirmar que essa categoria de fato emplacou no mercado popular.

Você já utilizou um drone? Comente no Fórum do TecMundo