Na tarde desta segunda-feira pós Comic Con (7), a organização do evento publicou uma nota de repúdio relativa à cobertura por parte do programa televisivo Pânico na Band. Segundo a mensagem, a reportagem realizada pelo grupo de “comédia” e veiculada pela Band foi “incapaz de lidar com o diferente, trazendo para dentro da CCXP seus preconceitos de gênero e seu franco desrespeito, entrevistando cosplayers com grosseria  chegando a lamber uma visitante”.

A organização do evento, hoje o maior do Brasil na categoria cultura pop, baniu o Pânico na Band da CCXP 2015 e de todas as atividades produzidas por eles a partir de hoje. Os responsáveis também afirmaram que o objetivo da nota não é discutir os limites do humor, mas sim evitar ações extremamente desagradáveis e desconfortáveis para participantes e organizadores, como assédios morais e sexuais, machismo escancarado, homofobia e outros tipos de preconceito dos piores possíveis. Confira a nota oficial:

CCXP 2015 | Nota de repúdio ao programa Pânico na BandNa CCXP - Comic Con Experience, todas as pessoas são bem-vindas...

Posted by CCXP - Comic Con Experience on Segunda, 7 de dezembro de 2015

A fórmula do ridículo

Os apresentadores Lucas Maciel e Aline Mineiro, supostamente fantasiados como “nerds”, abordaram pessoas de maneira intrusiva e praticaram todo tipo de assédio moral com os entrevistados, tirando sarro de suas vestimentas e até invadindo o espaço pessoal dos indivíduos. Apesar de esse tipo de “humor” controverso do Pânico na Band já ser conhecido de muita gente, em diversas situações os repórteres baixaram o nível ao ponto de constranger participantes e telespectadores, muitos dos quais se demonstraram revoltados nas redes sociais após a exibição da matéria na noite de ontem (6).

Assédio sexual e machismo em prol do humor?

Em um momento, ao abordar duas cosplayers, mãe e filha, Lucas Maciel disse que “com uma mãe dessas, mamava até os 30”. Ainda com as mesmas participantes, visivelmente incomodadas, o “repórter” afirmou “tá as duas aqui e a pia de louça tá cheia lá em casa, né? (sic)”. A cosplayer Myo Tsubasa, vestida como a personagem Estelar, de Jovens Titãs, pedia apenas para que não tocassem em sua pele, completamente pintada de laranja. Maciel não se fez de rogado e lambeu o ombro da garota, que se mostrou indignada e revoltada com o abuso do apresentador.

Venho aqui depois de um dia ultra cansativo na CCXP, INFELIZMENTE fazendo uma postagem de extremo desgosto. Mas não é...

Posted by Myo Tsubasa on Sábado, 5 de dezembro de 2015

A matéria continua com os repórteres ridicularizando e atormentando participantes e outros cosplayers durante a CCXP 2015, enquanto outros dois apresentadores tinham a missão de incomodar os atores que chegavam no aeroporto para participar do evento, entre eles Jorge Garcia, Terry Crews, Adam Sandler e Frank Miller, a quem creditam – em um erro grotesco – a criação de personagens como Batman e Wolverine.

Já que é para entrar no espírito da zoeira, para o Pânico na Band a CCXP 2016 vai acontecer nesse endereço:

O que você acha das atitudes dos repórteres do Pânico na Band durante a CCXP 2015? Comente no Fórum do TecMundo