Análise: Nokia Lumia 800 [vídeo]

O primeiro aparelho desenvolvido pela Nokia a utilizar o Windows Phone 7.5 não decepciona e mostra por que a empresa finlandesa deve ser respeitada.
  • Visualizações50.611 visualizações
Por Vinicius Karasinski em 4 de Abril de 2012

Os primeiros frutos da parceria entre Nokia e Microsoft começam a dar as caras em território nacional. O Nokia Lumia 800 é um aparelho com um hardware poderoso e um sistema operacional capaz de enfrentar as gigantes Apple e Google.

Apesar de não permitir alterações na interface do Windows Phone 7.5, a Nokia entrega o smartphone com os seus próprios softwares, como os excelentes Nokia Mapas, Nokia Dirigir e Nokia Música. Veja a análise e entenda por que a empresa finlandesa – que já foi líder no segmento de celulares – acertou na hora de fazer uma parceria com a Microsoft.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Aprovado

Um hardware robusto coberto por um design matador

O Nokia Lumia 800 vem com o mesmo hardware do Nokia N9. O aparelho é construído em uma única peça, semelhante ao iPhone, o que garante um design bonito e sólido. Graças a essa característica, não é possível remover a bateria. A tela de 3,7 polegadas é construída com a tecnologia Gorilla Glass e possui resolução de 480x800 pixels. Os botões-padrão do Windows Phone (voltar, tela inicial e busca) também utilizam a tecnologia sensitiva.

O telefone possui quatro botões físicos na lateral direita: dois para controlar o volume, um para ligar/desligar ou bloquear a tela e um botão de dois tempos para a câmera fotográfica do telefone.

A parte de cima tem um conector P2 para fones de ouvido e, logo ao lado, coberto por uma tampa, o conector microUSB. A gaveta para acomodar o microchip GSM fica na sequência, tudo muito discreto. A parte de baixo do aparelho fica reservada apenas para os alto-falantes do Lumia 800.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

O design é bonito. O corpo todo construído a partir de uma única peça de policarbonato apresenta um visual deslumbrante. A tela do smartphone fica em relevo e as bordas curvadas dão um charme a mais para o Lumia 800.

As especificações do Lumia 800

•    Suporte quad-band GSM/GPRS/EDGE;
•    Quad-band 3G com HSDPA 14,4 Mbps e HSUPA 5,7 Mbps;
•    Tela AMOLED de 3,7 polegadas com resolução de 480x800 pixels e tecnologia capacitiva;
•    Tela à prova de riscos construída com tecnologia Gorilla Glass antirreflexiva;
•    Câmera fotográfica com 8 megapixels, dual flash e lentes Carls Zeiss. Grava vídeos em 720p;
•    Sistema operacional Windows Phone 7.5 (Mango);
•    CPU Scorpion 1,4 Ghz, acelerador gráfico Adreno 205 e Chipset Qualcomm MSM8255;
•    512 MB de memória RAM;
•    Wi-Fi 802.11 b/g/n;
•    Corpo construído em policarbonato não pintado;
•    GPS com suporte à tecnologia A-GPS;
•    Bússola digital;
•    Capacidade de armazenamento de 16 GB;
•    Microfone com sistema de anulação de ruído;
•    Acelerômetro e sensor de proximidade;
•    Rádio FM;
•    Suporte a cabo microUSB.

A caixa do telefone traz um cabo microUSB, um fone de ouvidos e uma capa de borracha para proteger o corpo do aparelho. O design do conjunto permanece inalterado com a proteção, além de permitir que a carcaça não seja danificada.

Câmera fotográfica com muitos recursos

A câmera aos poucos se tornou um item indispensável nos smartphones. Nesse ponto, a Nokia não perdeu tempo e adicionou um modelo de 8 megapixels no equipamento. A lente fica posicionada na parte de trás do telefone, bem no meio da carcaça de policarbonato. Isso garante que você não coloque o dedo na frente da lente por engano, como acontece em outros modelos.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

A lente dela é Carl Zeiss com uma abertura de 2.2, o que, segundo a Nokia, garante até 75% mais luz na hora da captura das imagens. O flash de duplo LED embutido permite que fotos batidas em locais com baixa luminosidade saiam com boa qualidade.

O software da câmera é muito completo. Através dele, é possível editar opções como foco, luminosidade, brilho e até efeitos de envelhecimento nas imagens captadas. Caso alguma foto não tenha ficado boa, existe uma opção de autocorreção.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

Bateria

A Nokia garante a autonomia da bateria por até 265 horas em espera. Utilizamos o aparelho por quase dois dias inteiros com uso normal das funções, incluindo internet Wi-Fi, aplicativos de escritório e jogos. No final, ainda restou um pouco de carga. Em smartphones modernos isso é raro. A duração da bateria, em parte, pode ser garantida pelo Windows Phone, que possui avançados recursos de economia de energia.

Prazer, Windows Phone

Mesmo não utilizando um processador dual-core como a maioria dos concorrentes atuais, o Lumia 800 não perde em termos de desempenho. Isso porque a Versão 7.5 do Windows Phone instalada nele garante um bom desempenho nas aplicações. O sistema é bastante otimizado para o hardware do aparelho, o que demonstra a evolução pela qual o software da Microsoft passou desde o Windows Mobile 6.

A Microsoft bateu o pé e insistiu para que seu sistema operacional mantivesse as características-padrão, principalmente as tiles e a simplicidade do design. A fonte-padrão do também não pode ser alterada. A padronização evita desastres no layout que podem acarretar perda de desempenho e poluição visual.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

A Nokia não modificou nada na interface do Windows Phone, mas desenvolveu versões próprias dos seus principais programas; o Nokia Mapas; que exibe o mapa da cidade com direito a vista por satélite e ainda oferece uma busca por locais de interesse próximos;o Nokia Músicas, que é a loja de canções da Nokia; e o Nokia Dirigir, que é um sistema de navegação totalmente em português. Tudo isso incluído de fábrica no aparelho, pronto para usar.

Ainda para complementar o pacote de aplicativos instalados, você tem acesso aos programas Excel, Word, Power Point e OneNote dentro da nova versão do Office Móvel. O Programa oferece integração completa com o SkyDrive e com o Office365.

Um bom desempenho, mesmo com núcleo único

Em nenhum momento o aparelho decepcionou em termos de desempenho. A escolha da Microsoft em nivelar os requisitos de hardware para a construção dos telefones garante uma performance muito boa no Lumia 800. O processador de apenas um núcleo não fica para trás se comparado a outros modelos da mesma categoria.

O telefone executou satisfatoriamente tarefas simples, como gerenciamento de contatos, agenda e navegação na internet. Os jogos que exigem mais processamento também ofereceram uma excelente qualidade de imagem e fluência nas animações.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

O Windows Phone gerencia muito bem mais de uma tarefa. O tempo de recuperação dos aplicativos que estão em segundo plano é próximo de zero e alternar de um programa para o outro é muito rápido. A fila de aplicativos os elimina automaticamente para liberar memória quando necessário. Caso seja preciso, é possível desabilitar a multitarefa para economizar bateria.

A qualidade das fotos é muito boa. A alternativa do botão de dois tempos — quando pressionado até a metade ele foca e depois dispara — é excelente e coloca o aparelho à frente de outros dispositivos que possuem apenas o disparador manual na tela. A velocidade do disparador também é razoável.

O software da câmera também conta com diversos filtros de imagem e recursos diversos para melhoria das fotografias que, após registradas, podem ser facilmente enviadas para as redes sociais Twitter e Facebook.

Reprovado

Pouco armazenamento e sem comandos de voz

O Lumia 800 conta com apenas 16 GB de armazenamento e não permite a ampliação dessa capacidade. Em tempos de softwares cada vez mais exigentes, a Nokia poderia ter repensado essa característica e aumentado esse armazenamento. Ao menos poderia oferecer modelos com maior capacidade, como faz a Apple, que possui aparelhos com 8/16/32 e até 64 GB de memória.

(Fonte da imagem: Tecmundo)

O design do telefone, apesar de ser elegante e robusto, traz cantos sólidos e pontudos. Dentro do bolso, ele pode se tornar um pouco incômodo.

O aparelho não tem reconhecimento de voz em português, sendo que o iPhone 3GS carrega essa função desde o seu lançamento, em 2009.

O Marketplace brasileiro ainda é um pouco pobre em quantidade de aplicativos, principalmente na quantidade de jogos.

O custo do gadget fica em torno dos R$ 1.600, um pouco caro para aparelhos de categoria mediana. Somente para se ter ideia, um Samsung Galaxy S II — com maior capacidade de armazenamento e um hardware mais poderoso — pode ser encontrado no mercado nacional por cerca de R$ 1.300. Já um iPhone 4S com 16 GB sai por cerca de R$ 1.700.

Vale a pena?

A demora em responder aos concorrentes com um smartphone e sistema operacional à altura fez com que a empresa finlandesa precisasse recorrer a uma reformulação de sua política, principalmente no que diz respeito à utilização de softwares de terceiros. Acostumada a controlar todos os aspectos dos aparelhos, agora ela se viu obrigada a aceitar uma parceria com a Microsoft para tentar recuperar o terreno perdido para Apple e Google.

A escolha pelo Windows Phone foi a mais acertada principalmente porque quase todos os outros fabricantes trabalham com o Android. Fazendo isso, a empresa evitou cair na “vala comum” e conseguiu oferecer um sistema um pouco diferenciado da maioria, apesar de não ser exclusivo da Nokia. Os aplicativos exclusivos da Nokia, como o Nokia Dirigir e o Nokia Mapas, demonstram que a empresa não deixou para trás alguns de seus maiores diferenciais.

O Lumia 800 pode ser enquadrado na categoria mediano, seja em termos de hardware ou de custo. O corpo do celular, construído em policarbonato e em uma peça única, é muito bem feito e chama atenção pelo design.

A Nokia tem tradição em aparelhos de qualidade. O Lumia 800 possui um hardware potente, um design matador e um sistema operacional competente e rápido. Isso tudo garante que a compra seja um bom investimento.



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!