Alienígenas: estamos mais próximos de conhecê-los?

Editor da revista UFO mostra imagens das principais agências espaciais do mundo para mostrar que a vida alienígena é muito mais evidente do que se pensa.
  • Visualizações86.528 visualizações
Por Renan Hamann em 8 de Fevereiro de 2012

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Depois da palestra de Ademar Gevaerd, foi a vez de seu colega Marco Antônio Petit (também da revista UFO) subir ao palco Astronomia & Espaço da Campus Party Brasil 2012 para comentar sobre as evidências de que há vida inteligente fora da Terra. Petit reuniu uma grande quantidade de imagens (obtidas nos próprios sites da NASA e ESA) que mostram rastros dos extraterrestres.

Segundo Petit, há pelo menos 45 anos a NASA sabe que as imagens que estão sendo divulgadas aos poucos (que mostram desde as primeiras missões Apollo) são provas contundentes de que houve ou ainda há formas de civilização em outros planetas e luas (tanto a terrestre quanto a lua Europa de Júpiter).

Ampliar (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

E depois de tantas décadas escondendo a verdade (e publicando apenas imagens em resoluções baixas e adulterações), agora a Agência Espacial Norte-Americana estaria liberando fotos em alta resolução da superfície de outros corpos celestes. Como já dissemos, todas as fotografias utilizadas por Petit estão sendo disponibilizadas pelas agências espaciais dos Estados Unidos e Europa.

A imensa quantidade de fotografias mostra possíveis fósseis, obeliscos, construções artificiais e até mesmo os famosos rostos de marte. A NASA geralmente publica imagens monocromáticas, mas a ESA utiliza as cores reais para melhor elucidação dos astrônomos, ufólogos e outros interessados. Nas fotos desse segundo grupo, há inclusive evidências de elementos vegetais em marte.

(Fonte das imagens: Baixaki/Tecmundo)

Outro elemento comum nas imagens é a presença de objetos aparementemente artificiais sendo arrastados por vários quilômetros. Obeliscos são responsáveis pela formação de grandes sombras e sempre estão ao final de rastros enormes, o que evidencia a movimentação por algum tipo de forma de vida. Os "arrastos" encontrados na Lua podem ser de milênios atrás, mas os de Marte não podem datar de mais de um ano, visto que o processo de erosão no planeta é muito veloz.

Mas por que as agências espaciais estariam interessadas em mostrar a verdade ao mundo? Foi a pergunta que fizemos a Petit, que nos respondeu com muita segurança. Segundo ele, a NASA esteve escondendo por anos a realidade,para evitar que a população mundial entrasse em pânico.

Agora, com a civilização em outro estágio de entendimento do mundo, os governos de todo o planeta estariam tentando fazer com que o conhecimento da vida alienígena passe a ser desfrutado por todos. Isso seria vital para evitar pânico generalizado e catástrofes relacionadas, caso alguma civilização extraterrestre decida fazer contato. E é exatamente esse contato que Petit acha que está próximo (para daqui alguns anos). 



Viu algum erro ou gostaria de adicionar uma sugestão para atualizarmos esta matéria?
Colabore com o autor clicando aqui!