A febre dos hoverboards agitou bastante o Natal de muitas pessoas. Os pequenos patinetes luminosos de duas rodas fizeram a alegria de muita gente e também renderam belíssimos tombos para as pessoas menos coordenadas.

Embora o brinquedo não represente uma ameaça à primeira vista, o departamento que analisa a segurança de produtos nos Estados Unidos (US Consumer Product Safety Commission) emitiu um comunicado alertando sobre os perigos inerentes ao patinete.

Os hoverboards (ainda) não chegaram a ter a venda oficialmente proibida, mas o governo do Tio Sam quer que as lojas que os vendem ofereçam reembolsos aos clientes interessados. A primeira loja a adotar a recomendação foi a Amazon nos Estados Unidos e no Canadá.

Tombos e mais tombos

O problema mais óbvio dos patinetes é sua instabilidade, e o texto da agência explica que a maioria dos modelos não foi desenhada para lidar com os diferentes pesos das pessoas, aumentando a chance de que ocorram movimentos rápidos que o usuário não possa prever. As quedas podem causar ferimentos graves, visto que a maioria das pessoas cai de costas ou sentada.

Ainda, existe a preocupação com as baterias de baixa qualidade que equipam muitos desses aparelhos. Os hoverboards costumam guardar as células de energia em compartimentos pouco protegidos que se contraem e expandem devido ao peso do patinador, aumentando o risco de que a bateria seja danificada e cause um incêndio.

Enquanto não é determinado um padrão para os hoverboards, a agência norte-americana recomenda que as pessoas os utilizem com roupas protetoras adequadas e que tenham sempre um extintor à mão. O texto também explica que o patinete não deve ser utilizado perto de materiais inflamáveis nem em estradas de verdade.

Governo dos Estados Unidos diz que hoverboards são perigosos demais Comente no Fórum do TecMundo