O cientista sul-coreano Prof. Choi e o estudante Kun Joong Kim alegam o desenvolvimento de uma bateria que pode aumentar consideravelmente o tempo de uma carga nos mais diversos aparelhos. Os pesquisadores da Pohang University of Science and Technology trabalham atualmente em uma célula combustível de óxido sólido miniaturizada (SOFC, na sigla original).

O material resultante seria um substituto ideal para as atuais baterias de íon-lítio. Assim, a carga de celulares atuais poderia durar uma semana, enquanto drones seriam capazes de ficar mais de uma hora no ar sem troca de pilhas.

Além de dispositivos móveis ou até laptops, se der realmente certo, a tecnologia ainda pode ser expandida e escalada para aparelhos maiores no futuro — como até um carro elétrico.

Entenda o funcionamento

No processo, a eletricidade é gerada a partir da oxidação de uma substância combustível básica — no caso, o hidrogênio.

Como grande trunfo, a tecnologia combina eletrólitos e eletrodos em camadas finas com aço inoxidável poroso, que é forte, perfeito para aguentar altas temperaturas e estável nas reações de oxidação e redução necessárias. O silício era usado antes na composição do projeto de bateria, mas se degradava rápido e não durava o necessário.

Quanto tempo você acha que deveria durar a bateria de um celular ? Comente no Fórum do TecMundo