O hospital Hollywood Presbyterian Medical Center foi vítima de um sequestro nos últimos dias que transformou o local em um caos. Porém, nada de homens armados com reféns: o ataque foi totalmente virtual, orquestrado por um grupo hacker.

Criminosos ainda não identificados pela polícia derrubaram por mais de uma semana os computadores e a rede interna do local a partir de um ransomware — um malware que toma o controle de um PC ou uma rede inteira até que um resgate seja pago.

No caso do hospital, o grupo pede US$ 3,6 milhões (quase R$ 15 milhões) em bitcoins, para dificultar o rastreamento. A instituição entrou em crise por conta do ataque: como a rede está offline, dados e resultados de exames de pacientes não podem ser acessados, emails e recados importantes não são lidos e até o sistema de áreas de emergência foram atingidas momentaneamente.

Telefone e até fax estão sendo usados na comunicação interna ou externa e alguns pacientes já foram transferidos para aliviar o trabalho da equipe. Registros de pacientes todos foram para o papel e a equipe foi aconselhada a não utilizar serviços online dentro do hospital para evitar novos ataques.

Até o momento, a polícia de Los Angeles acredita que o ataque tenha sido aleatório, mas novos detalhes técnicos não foram divulgados.