Imagine que, por um motivo ou outro, você acabe se envolvendo em uma discussão ou briga em algum restaurante ou no trânsito. Quando os ânimos começam a esquentar, a outra pessoa perde a paciência e saca um celular. Seria para tirar fotos da situação ou para ligar para a polícia? Embora essa seja a alternativa mais provável atualmente, esse cenário pode mudar drasticamente com o anúncio de uma arma que se disfarça perfeitamente como um smartphone convencional.

O projeto para um produto tão controverso assim – com todos os elementos para resultar em uma péssima ideia em diferentes níveis – vem da companhia norte-americana Ideal Conceal, que aparentemente é “especializada em armamentos ocultos e de alta qualidade que possam ser utilizadas rapidamente na sua defesa ou na da sua família”. Partindo do princípio que os dispositivos mobile estão por todos os lados, o objetivo foi criar uma arma de fogo que pudesse ser escondida facilmente entre os pertences de qualquer cidadão.

Segundo Kirk Kjellberg, projetista da pistola de cano duplo calibre .380, a fabricante já recebeu ao menos 2,5 mil mensagens de usuários interessados em adquirir uma unidade de seu novo brinquedinho – mesmo que a chegada oficial do produto só esteja agendada para o meio deste ano. O preço? De acordo com o site, vai ser preciso desembolsar US$ 395 (pouco menos de R$ 1,5 mil) para andar por aí com um celular letal com capacidade para duas balas.

Para Kjellberg, na verdade, a essência dessa arma é não incomodar as pessoas à sua volta. Um caso envolvendo ele mesmo, aliás, serviu como ponto de partida para o desenvolvimento do item, conforme disse em entrevista para a CNN. Circulando dentro de um restaurante, um garotinho teria visto que ele estava armado e gritou: “Mamãe, mamãe, aquele homem tem uma arma”. É claro que isso acabou tirando o sossego dos outros clientes do estabelecimento, que acabaram achando que um tiroteio poderia se desenrolar a qualquer momento.

Nem todo mundo confia

Apesar dos motivos “nobres” para a existência de um equipamento como esse, o fato de ele estar muito bem disfarçado como um objeto comum é motivo de preocupação para autoridades e organizações nos EUA. Representantes da polícia do país, por exemplo, chegaram a afirmar que só o conceito de um armamento que não parece ser um armamento já seria motivo para preocupação. Mesmo que o produto da Ideal Conceal tenha travas de segurança, a reflexão acima é levada adiante por Andrew Patrick, vice-diretor da Coalizão para Acabar com a Violência Armada.

Só o conceito de um armamento que não parece ser um armamento já seria motivo para preocupação

“O que é perturbador é que realmente se parece um smartphone de verdade. Há inúmeras histórias de crianças que achavam estar brincando com armas de brinquedo e foram feridas porque as confundiram com uma de verdade”, analisou Patrick ao falar com o Daily Mail. Por conta das diferenças nas lesgislações relativas a armas de fogo em geral entre EUA e Brasil, as chances são de que dificilmente veremos um modelo desses por aqui – pelo menos por vias oficiais. No entanto, vale ficar precavido no futuro caso alguém ameace você com um telefone querendo o seu celular.

Qual é a sua opinião sobre armas que se disfarçam de objetos rotineiros? Comente no Fórum do TecMundo!