Quem acompanha o mundo da tecnologia há algum tempo sabe que as hackathons são eventos que exigem bastante dedicação dos desenvolvedores para render boas ideias ou produtos em tempo recorde. A pressão, no entanto, parece ser uma arma usada pelos vencedores para se motivar ao longo de toda essa jornada. Esse parece ser o caso da startup curitibana Neomode, que, após uma maratona de 24h de trabalho ininterrupto, foi a grande vencedora da primeira BeautyHack, realizada no Cubo, em São Paulo.

A hackathon promovida pela L’Oréal no Brasil ofereceu como prêmio um investimento no valor de R$ 100 mil. A ideia é que o dinheiro seja usado para ajudar na viabilização do projeto, um aplicativo para a Maybelline que tem toda a chance de ser lançado oficialmente no futuro. Durante o desafio, 15 startups pré-selecionadas, das 108 inscritas, desenvolveram apps para quatro projetos estratégicos da empresa. A solução vencedora foi o Maybeonlline, um software mobile com objetivo de integrar todos os pontos de venda da marca – entre canais tradicionais, contatos na web, relacionamento e promoções.

Os curitibanos da Neomode recebendo seu prêmio

“Nesta primeira hackathon que realizamos no país, buscamos novas ideias de jovens empreendedores para o desenvolvimento de aplicativos que nos ajudem a acelerar a ampliação desta área no país”, afirmou Didier Tisserand, presidente da L’Oréal Brasil, dizendo ainda que esse é um grande passo para a digitalização da companhia por aqui. Já a CMO Paula Costa ressaltou que beleza é a segunda categoria mais comprada no mobile – uma área que não para de crescer. “Estamos apostando em alternativas no mercado, visando estar cada vez mais próximos do nosso consumidor”, explicou.

A especialista em varejo e estratégias multicanais Fabíola Paes foi quem inscreveu a Neomode na BeautyHack. “Escolhemos o desafio Maybelline para participar e, quando começamos a pensar no aplicativo que seria desenvolvido, nossa intenção sempre foi implantar uma estratégia global para a empresa”, disse, lembrando que o projeto também contou com visitas a farmácias e quiosques. Daniel Koleski, UX/UI designer da startup, comentou que todo o desenvolvimento do aplicativo foi baseado em feedbacks reais de consumidoras da marca e que o prêmio deve colocar o app realmente para funcionar.

Quarteto vencedor

As startups que participaram da hackathon puderam se inscrever para quatro desafios, simbolizando cada área de negócios da empresa. Com o prêmio já garantido para a Neomodeo como grande vencedora, ela e mais três startups ainda foram reconhecidas por terem apresentado os melhores projetos nesses segmentos. O melhor? Elas poderão escolher qual será sua recompensa: uma viagem ao Vale do Silício para conhecer a Google e o Facebook ou embolsar R$ 100 mil em dinheiro para reforçar o orçamento do projeto.

Elas poderão escolher qual será sua recompensa: uma viagem ao Vale do Silício para conhecer a Google e o Facebook ou embolsar R$ 100 mil em dinheiro

Assim, além da equipe curitibana, Rag Softwares, Inovalab e Points Rocket terão a chance de ganhar mais experiência ou apoio para suas empreitadas: a Rag Softwares, de Minas Gerais, venceu o Desafio DCA (Divisão Cosmética Ativa); os cariocas da Inovalab, por sua vez, ganharam o Desafio DL (Divisão Luxo); e por último, mas não menos importante, a Points Rocket, com sede na Paraíba e no Rio Grande do Norte, levou o caneco no Desafio DPP (Divisão Produtos Profissionais). A comissão julgadora da hackathon contou com uma série de executivos da L’Oréal e especialistas de diversos setores.

Você acha que conseguiria participar de uma hackathon com sucesso? Comente no Fórum do TecMundo!