Em uma entrevista para uma rádio norte-americana, o COO da Apple, Jeff Williams, comentou que a Maçã só é criticada por trabalho infantil em sua linha de produção porque investiga esse tipo de coisa. Segundo ele, outras empresas simplesmente ignoram casos assim.

“Empresa nenhuma quer falar sobre trabalho infantil. Elas não querem ser associadas a isso. Nós vamos atrás. Saímos por aí e procuramos casos onde menores são encontrados em uma fábrica em algum lugar e então tomamos atitudes drásticas em relação ao fornecedor, aos trabalhadores e tentamos mudar alguma coisa. Depois, nós reportamos isso publicamente todo ano. Recebemos muito criticismo por causa disso. Mas achamos que o único jeito de fazer mudança é atacar o problema de cabeça erguida e falar sobre ele”, disse Williams à rádio.

Um dos últimos casos que geraram polêmica sobre trabalho infantil na rede de fornecedores da Apple foi um caso em que uma mineradora da Indonésia que fornecia material para um fornecedor da Maçã mantinha menores trabalhando sob condições perigosas. Isso foi em 2014, uma denúncia feita em um documentário.

Nós escolhemos [...] continuar engajados e tentar gerar uma solução coletiva

“A Apple tem duas escolhas: nós poderíamos nos certificar de que todos os nossos fornecedores comprem metal de minas fora da Indonésia, o que seria a decisão fácil a ser tomada e que certamente nos protegeria de críticas. Mas isso também seria o caminho preguiçoso a ser seguido, porque não adiantaria em nada para melhorar as condições de trabalho na Indonésia ou para o meio ambiente, já que a Apple consome apenas uma pequena fração do metal produzido lá. Nós escolhemos a segunda opção, que é continuar engajados e tentar gerar uma solução coletiva”, completou Williams.

Você acha que empresas de tecnologia deveriam ser mais ativas no combate ao trabalho infantil em suas linhas de produção? Comente no Fórum do TecMundo