Hoje (28 de maio de 2015), a Google voltou aos holofotes da imprensa de todo o mundo. Isso aconteceu por causa de um evento que todos estavam ansiosos para assistir: o Google I/O 2015. Um dos principais motivos dessa espera era a provável demonstração dos detalhes do novo sistema operacional portátil: o Android M.

Assim como aconteceu no ano passado — quando surgiram as primeiras informações do Android "L" Lollipop —, a Google não revelou o nome oficial do sistema operacional ainda. Ou seja, ainda teremos que esperar mais um pouco para saber qual será o doce utilizado para batizar o novo Android. Mas em relação aos recursos, não há mistérios.

A Google não escondeu o jogo e trouxe muitas novidades para o Android M (em fase Developer Preview), mostrando aos desenvolvedores tudo o que poderá ser feito com a próxima versão do SO. Confira agora quais foram as principais novidades mostradas pela empresa de Mountain View para o novo Android.

Permissões de aplicativos

Ao contrário do que acontece hoje, o Android M terá muito mais clareza nas permissões que cada aplicativo exige para que possa ser utilizado. Em vez de todas as permissões serem exigidas no momento da instalação, elas serão exibidas de maneira gradativa e de acordo com as necessidades de cada momento.

Ou seja... Usando o mesmo exemplo exibido pela Google no evento: se você instalar o WhatsApp em seu smartphone, não precisará autorizar todos os acessos já no primeiro momento. Somente quando você for enviar algum áudio e que precisará permitir o acesso ao microfone. A grande diferença desse novo sistema está na possibilidade de limitar as permissões de cada aplicativo.

Experiência web

A Google sabe que a maior parte das atividades desempenhadas em um smartphone é relacionada à internet. Por isso, a empresa decidiu melhorar a experiência web que cada consumidor possui com os portáteis. A maior mudança anunciada nesse campo está nas "Chrome Custom Tabs", que permitirão mais integração entre apps e abas no navegador.

Em resumo: desenvolvedores poderão fazer com que seus apps tenham o navegador Chrome integrado para o carregamento de páginas na internet. Isso ainda terá suporte para o salvamento de senhas, recursos de autocompletar e páginas favoritas.

App Links

Hoje, quando um consumidor tenta abrir um link na internet, uma janela de diálogo é aberta para perguntar qual aplicativo o usuário deseja usar. Com o Android M, quando quiser fazer o mesmo processo, você verá muito menos costuras. Isso porque alguns aplicativos confiáveis serão integrados para realizar o carregamento automático desses links.

No evento de hoje, a Google mostrou um exemplo disso com o Twitter. Atualmente, quando alguém tenta abrir uma postagem na rede social existe o questionamento acerca de qual ferramenta utilizar. Na nova versão isso será automático, pois o app Twitter será considerado um sistema de confiança para o Android.

Android Pay

Assim como o iOS faz com o Apple Pay, o Android está ganhando novas possibilidades para o pagamento de contas. Trata-se do Android Pay, que traz uma integração avançada entre emuladores de cartões, internet e conectividade NFC para oferecer "simplicidade, segurança e novas opções de escolhas" para os consumidores.

Com essa plataforma aberta, os consumidores poderão desbloquear seus aparelhos, aproximá-los aos leitores e realizar as transferências de um modo simples e rápido. O Android Pay é um sistema conectado ao Google Wallet, mas com muito mais possibilidades para todos.

Reconhecimento biométrico

Alguns aparelhos com o Android já possuem leitores biométricos para que os desbloqueios aconteçam por meio de impressões digitais. Mesmo assim, até o momento isso só era possível por meio das alterações dos fabricantes — Samsung e Motorola, por exemplo. Agora, isso passa a ser um recurso nativo do Android e poderá ser integrado a aplicativos de terceiros — incluindo os sistemas de pagamento.

Recursos de energia

Com cada vez mais recursos, os smartphones se tornaram verdadeiros computadores portáteis. Isso significa, entre outras coisas, que o consumo de energia dos aparelhos tem sido cada vez maior. Pensando nisso, a Google trouxe um novo sistema de gerenciamento de energia para o Android M — prometendo melhor aproveitamento e aumento de autonomia das baterias.

Isso surge em conjunto com o recurso "Doze" (um gerenciador "mais inteligente"), que promete detectar as situações em que o aparelho está inserido para otimizar o funcionamento. A Google deu um exemplo: se o Android M detectar que o aparelho está parado, poderá cortar o processamento de qualquer app que use os sensores de movimento.

Com isso, ainda é possível fazer com que aplicativos de alta prioridade permaneçam ativos para evitar a perda de qualquer informação. Segundo a desenvolvedora, em alguns aparelhos (como o Nexus 9) o Doze pode até dobrar o tempo de autonomia da bateria — em comparação com o manuseio comum.

USB Type-C

O novo Android M também traz suporte para os conectores USB Type-C. Isso permitirá que os consumidores usem os seus smartphones e tablets como baterias externas, podendo fazer com que a energia armazenada neles seja levada a outros dispositivos.

.....

Além de tudo o que foi mostrado, a Google também promete algumas otimizações para o sistema operacional, incluindo a correção de pequenos bugs. O sistema estará disponível em versão Developer Preview para os aparelhos Nexus 5, Nexus 6, Nexus 9 e Nexus Player a partir de hoje. A versão final para consumidores deve surgir já no terceiro trimestre.